Economia

Sindicato refere 95% de adesão à greve na CP

Sindicato refere 95% de adesão à greve na CP

A adesão à greve que os revisores e operadores de bilheteira da CP realizam, esta segunda-feira, rondava os 95%, às 6.30 horas, disse o presidente do Sindicato Ferroviário da Revisão Comercial Itinerante.

Às 6.30 horas, a adesão à greve era de 95%. Desde as 22 horas que não circula nenhum comboio nas zonas urbanas de Lisboa e Porto", disse à Lusa o presidente do SFRCI, Luís Bravo.

Segundo o sindicalista, está apenas previsto para esta manhã um comboio Intercidades com destino ao Porto.

No domingo, a porta-voz da CP disse a greve deveria afectar a circulação de comboios na maior parte do país.

Deste modo, os serviços Intercidades, Regionais e Urbanos deverão sofrer elevadas perturbações, enquanto os comboios Alfa Pendular vão ficar totalmente paralisados por opção da empresa.

"A CP prefere fazer Intercidades em vez de Alfa Pendulares, porque levam mais pessoas e param em mais estações", explicou a porta-voz.

A greve de 24 horas desta segunda-feira dos revisores e operadores de bilheteira da CP é convocada pelo SFRCI que protesta contra o fato de ainda não ter sido posto em prática o acordo assinado, a 21 de Abril, entre a Comissão Executiva da CP e os sindicatos que representam os trabalhadores da empresa.

Os grevistas discordam também da redução, a partir de 1 de Junho, da oferta de comboios das áreas urbanas, com especial incidência nas linhas urbanas de Cascais e de Sintra.

Além dos revisores e operadores de bilheteira, este fim-de-semana estiveram em greve às horas extraordinárias os trabalhadores da CP e CP Carga, assim como os maquinistas da CP, cujos protestos se prolongam até 30 de Junho.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG