Economia

Só a "vontade política" pode salvar a zona euro, sentencia Nobel

Só a "vontade política" pode salvar a zona euro, sentencia Nobel

O prémio Nobel de Economia em 2001, Joseph Stiglitz, disse, esta sexta-feira, em Luanda que a crise financeira que a Europa está a atravessar "não significa o fim do euro", mas sublinhou que isso está dependente da "vontade política".

Para Joseph Stiglitz, caso a Europa não assista e assegure os países em dificuldade, "haverá o risco de o euro não sobreviver".

O Nobel de Economia, o orador principal de uma conferência promovida pelo jornal "Sol" e a revista "Foreign Policy Lusófona", afirmou igualmente que a estratégia tomada pela Europa - o aumento das medidas de austeridade "não funcionará".

"A austeridade leva à descida de receitas fiscais, gerando um défice em quase todos os níveis, que por sua leva ao descontentamento das pessoas", sublinhou o economista.

Relativamente a Portugal, Joseph Stiglitz salientou que como outros países europeus a crise que enfrenta é resultado "em parte" da crise global, que levou a uma recessão económica face à baixa de receitas tributárias e aos grandes défices.

"A Europa precisa de descobrir uma estratégia de crescimento e não uma estratégia de austeridade e se o puderem fazer, então os problemas de défice serão resolvidos", frisou o Prémio Nobel de Economia 2001.

Outras Notícias