Economia

Sócrates: Economia está a recuperar de forma “consolidada”

Sócrates: Economia está a recuperar de forma “consolidada”

O primeiro-ministro, José Sócrates, defende que os mais recentes dados sobre o crescimento económico do país são "absolutamente extraordinários".

De acordo com Sócrates, os dados sobre Portugal, que tem o terceiro maior crescimento da Europa, demonstram que o país está a "recuperar" de forma "consolidada".

Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), a economia portuguesa cresceu 0,9 por cento no terceiro trimestre deste ano, acelerando de uma subida de 0,3 por cento no segundo trimestre, em cadeia.

Comparando com o período homólogo de 2008, o INE mostra que a economia nacional contraiu-se no terceiro trimestre 2,4 por cento, melhorando face à queda de 3,7 por cento que tinha registado no segundo trimestre deste ano.

Falando aos jornalistas no Centro Cultural de Belém, antes de abrir uma conferência sobre indicadores tecnológicos e científicos em Portugal, José Sócrates disse que os dados do INE "demonstram que a economia portuguesa está a recuperar cada vez de forma mais sólida e mais consolidada".

"A verdade é que o número [referente ao crescimento económico] é absolutamente extraordinário, porque é muito superior às estimativas do Governo, sendo o terceiro maior crescimento em cadeia de toda a Europa".

Para o primeiro-ministro, este indicador "representa para a economia portuguesa um resultado muito positivo na sequência de todas as medidas adoptadas de combate à crise".

"Trata-se de uma excelente notícia para a economia portuguesa e este é o momento para se dizer aos portugueses, aos agentes económicos, que é preciso ter confiança, que as coisas estão a melhorar e que a evolução da nossa economia distingue-se em toda a Europa como sendo uma das economias que mais rapidamente está a sair da crise", sustentou.

José Sócrates observou ainda com satisfação que a Europa se encontra em recuperação, já que o crescimento médio em cadeia se situa entre 0,3 e 0,4 por cento.

"O novo dinamismo da economia europeia é uma boa notícia, porque ajuda na recuperação da economia portuguesa", acrescentou o primeiro-ministro.