Economia

Subida do salário mínimo em Portugal em 2019 foi a sexta mais baixa na UE

Subida do salário mínimo em Portugal em 2019 foi a sexta mais baixa na UE

A subida do salário mínimo em Portugal em 2019, de 3,5% em termos nominais, foi a sexta mais baixa entre os 22 Estados-membros da União Europeia que têm salário mínimo, revelam dados hoje publicados pela Comissão Europeia.

No quadro do "pacote de outono" do semestre europeu de coordenação de políticas económicas, um dos documentos adotados hoje pela Comissão Europeia foi o relatório sobre o Emprego, que revela que, em matéria de salário mínimo, houve atualizações em 21 dos 22 países que o praticam (apenas não houve aumento na Letónia), registando-se na maioria dos Estados-membros aumentos superiores àquele verificado em Portugal, tanto em termos nominais como em termos reais.

Assumindo o valor de um salário mínimo de 700 euros em 2019 (ajustando o pagamento de 14 meses aos 12 meses do ano), o relatório aponta então que em Portugal houve um aumento de 3,5% em termos nominais (face aos 676,67 euros de 2018), que é o sexto mais baixo entre os 22 Estados-membros, apenas à frente da Letónia, França (1,5%, mas para 1.521 euros), Malta (1,9%, para 761 euros), Bélgica (2,0%, para os 1.593 euros) e Irlanda (2,6%, para os 1.656 euros).

Em termos reais, ou seja, tendo em conta a inflação, o aumento do salário mínimo em Portugal este ano foi de 2,8%, o décimo mais baixo entre os 22 países com salário mínimo na União Europeia (Áustria, Chipre, Dinamarca, Finlândia, Itália e Suécia não têm).

As variações entre os salários mínimos na Europa continuam a ser vincadas, oscilando entre os 286 euros na Bulgária e os 2.071 euros no Luxemburgo (valores de 2019), surgindo Portugal na segunda metade da tabela, na 12.ª posição entre os 22 países.

O salário mínimo em Portugal aumentará para os 635 euros em 01 de janeiro de 2020 face ao valor de 600 euros praticado este ano, o que, ajustado tendo em conta os 14 meses, equivale a um aumento dos atuais 700 para 740 euros, os valores tidos em conta nos cálculos do Eurofund para estabelecer uma comparação entre os Estados-membros.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG