Economia

TAP "há muito que abandonou" o Aeroporto Sá Carneiro

TAP "há muito que abandonou" o Aeroporto Sá Carneiro

O presidente da Câmara do Porto afirmou que, "como portuense", não está muito preocupado com a greve de 10 dias anunciada pelos pilotos da TAP porque a transportadora aérea "há muito que abandonou" o Aeroporto Francisco Sá Carneiro.

Em Braga, Rui Moreira, à margem de uma visita ao Instituto Ibérico de Nanotecnologia, acompanhado do presidente da autarquia bracarense, salientou, no entanto, que "como português" vê com "preocupação" a situação da TAP.

Questionados sobre a negociação com a ANA relativa ao pagamento da mesma taxa que a empresa acordou pagar a Lisboa, por conta da taxa turística na capital, Rui Moreira e Ricardo Rio, mostraram entendimento quanto a que esta é uma reivindicação conjunta da região Norte e que afirmaram que imporem a mesma taxa, "neste contexto" nas duas cidades não é "tabu".

"Como português vejo com preocupação a situação da nossa transportadora aérea. Como portuense não estou muito preocupado, a TAP há muito que abandonou o Aeroporto Francisco Sá Carneiro, que hoje não é tão importante como foi", afirmou Rui Moreira.

Para o autarca do Porto, esta situação é um "problema" do Governo.

"A TAP não é estrutural para o Aeroporto Francisco Sá Carneiro nem para a região, nem a região parece ser estrutural para a TAP, não dramatizo essa situação, é um problema do Governo, não é um problema nosso", explanou.

Quanto ao andamento das negociações com a ANA sobre o pagamento aos municípios do Norte da mesma taxa que a empresa acordou com Lisboa, Rui Moreira adiantou esperar o agendamento de uma reunião.

"Já falei com o presidente da câmara de Braga, temos nesse aspeto uma estratégia alinhada que naturalmente não vamos dizer porque não se avisa antes aquilo que se vai negociar", afirmou.

Para os dois autarcas a implementação de uma taxa turística, semelhante à existente em Lisboa, no Porto e em Braga não está posta de lado por uma questão de "argumento" negocial.

"A taxa para mim não é tabu. Se nós pretendemos um tratamento equitativo por parte da ANA para Lisboa como para a nossa região, e se a ANA justifica o apoio a Lisboa ser do facto de uma taxa turística não me parece que, neste momento, nós possamos recusar taxas turísticas porque depois não temos argumentos para negociar seja o que for com a ANA", explicou Rui Moreira.

No mesmo sentido, Ricardo Rio, que afirmou anteriormente que uma taxa turística não teria "lógica" em Braga, explicou agora que depende do contexto em que a dita prestação é imposta.

"Se o argumento para haver essa redistribuição for a taxa é um enquadramento distinto de aplicá-la sem qualquer outro propósito", disse.

Para os autarcas, está é uma reivindicação da região e não apenas do Porto ou Braga.

"No caso de Lisboa foi uma reivindicação de Lisboa. No nosso caso temos uma visão diferente. Nós não temos um sentimento de apropriação do Aeroporto Sá Carneiro, desde logo porque não é na cidade do Porto, está em três municípios, Maia, Matosinhos e Vila do Conde", referiu o autarca do Porto.

"Agora é um aeroporto que tem um impacto enorme, é o aeroporto do Porto mas também é o de Braga, do Guimarães, de Viseu. Temos que ter em relação ao aeroporto esta visão alargada não tentando apropriar o aeroporto", finalizou.

Outras Notícias