aviação

TAP voa com menos um tripulante mas em "segurança", garante empresa

TAP voa com menos um tripulante mas em "segurança", garante empresa

A TAP vai mesmo avançar com a redução de um tripulante nos seus voos a partir desta quarta-feira, não tendo a medida qualquer impacto no serviço ou segurança das operações, garantiu o vice-presidente da companhia aérea, Luiz Gama-Mór.

O vice-presidente da TAP assegurou que a decisão de reduzir um tripulante "é mesmo para avançar" e que a medida apenas acompanha o que é prática no setor, já que ao diminuir um tripulante a companhia aérea de bandeira ficará "em linha com o número de tripulantes" com que voam as restantes grandes transportadoras aéreas de outros países.

"Não vai ter qualquer impacto nem na qualidade do serviço nem na segurança" dos passageiros, sublinhou Luiz Gama-Mor.

Questionado pela Lusa sobre a data de entrada em vigor desta medida, o responsável não respondeu, mas fontes do sector disseram à Lusa que será esta quarta-feira, dia 1 de Junho, tal como estava previsto na circular que a administração enviou aos trabalhadores, a 5 de maio.

Fonte da TAP explicou à Lusa que a regulamentação internacional sobre esta matéria diz que por cada 50 passageiros as companhias aéreas são obrigadas a ter um tripulante a bordo. Por exemplo, a versão Airbus 319 que a TAP detém na sua frota tem capacidade para 130 passageiros, o que obriga a transportadora a voar com três tripulantes. No entanto, acrescentou a mesma fonte, após a entrada em vigor da redução do número de trabalhadores a companhia vai voar com quatro, face aos cinco de até aqui.

A TAP tem operado com um número de tripulantes nos voos superior aos das suas concorrentes pois assim estava estabelecido no Acordo de Empresa, uma situação que se manteve ao longo dos anos e que a gestão da companhia decidiu mudar, na sequência da contenção de custos imposta pelo Governo.

A poupança estimada pela companhia aérea com esta medida é de cerca de 14 milhões de euros por ano.

O Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) tinha interposto uma providência cautelar para contestar a redução de um tripulante nos voos da TAP que, tal como a Lusa já noticiou hoje, foi indeferida, segundo fonte da estrutura sindical.

Os associados do SNPVAC têm estado reunidos esta tarde em assembleia-geral para analisar a situação laboral na TAP, nomeadamente esta matéria.

O sindicato, numa moção aprovada na última assembleia-geral, realizada em Abril, considerou a redução do número de tripulantes "uma desonesta vil forma de atacar e retirar direitos e condições de trabalho negociados livremente".

Outras Notícias