Exclusivo

Taxas TVDE mais do que duplicam em seis meses

Taxas TVDE mais do que duplicam em seis meses

Plataformas pagaram ao Estado quase dois milhões de euros no primeiro semestre deste ano e faturaram mais de 38,7 milhões.

As receitas do Estado provenientes da contribuição de regulação e supervisão (CRS), pagas pelas plataformas eletrónicas de TVDE, preparam-se para bater recordes em 2022. Só no primeiro semestre deste ano, as receitas já mais do que duplicaram face ao mesmo período do ano passado (de cerca de 820 mil para 1,9 milhões de euros), o que equivale a pagamentos mensais médios de 322,6 mil euros. É um valor histórico, desde que entrou em vigor a lei TVDE, em 2018. Aquela contribuição equivale a 5% da comissão que as plataformas, como a Uber, a Bolt ou a Free Now, cobram aos motoristas em cada viagem, o que significa que, em seis meses, as plataformas faturaram mais de 38,7 milhões de euros.

As viagens realizadas pelos mais de 40 mil motoristas licenciados para o transporte em veículo descaracterizado a partir de plataforma eletrónica (TVDE) no primeiro semestre deste ano renderam mais do dobro das comissões de igual período do ano passado às plataformas. O Estado arrecadou um valor superior a 1,9 milhões entre janeiro e junho em taxas que as plataformas, como a Uber, a Bolt e a Free Now, são obrigadas a desembolsar e que representam "5% dos valores da taxa de intermediação cobrada pelo operador de plataforma eletrónica em todas as suas operações". A referida taxa não pode ser superior a 25% do que os motoristas recebem por cada viagem, porém cada plataforma cobra percentagens diversas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG