O Jogo ao Vivo

Mercedes-Benz

Táxi do Porto exposto no Museu Mercedes-Benz na Alemanha

Táxi do Porto exposto no Museu Mercedes-Benz na Alemanha

Táxi português faz parte de exposição no Museu Mercedes-Benz, em Estugarda, na Alemanha. O carro é um Mercedes-Benz 200D de 1988 e pertence a José Mota Pereira, um taxista do Porto que conduziu o carro durante 13 anos.

A história começa quando a Daimler pediu à Mercedes-Benz para procurar por registos de quilometragem das viaturas assistidas nas redes oficiais da empresa. O táxi de José Mota Pereira chegou ao Museu Mercedes-Benz através da Sociedade Comercial C. Santos, por ter percorrido 1,9 milhões de km.

"A Mercedes procurava por um carro que tivesse muitos quilómetros e, naturalmente, se calhar também o estado dele, o estado de conservação do carro. As duas coisas terão motivado a Mercedes a interessar-se. Depois entraram em contacto comigo para negociarmos o carro e eu o dispensar à Mercedes", explica.

O taxista de 77 anos, que conduziu o carro durante 13 anos pelas ruas do Porto, referiu ainda que foi o filho mais velho que o ajudou a tomar a decisão de vender o carro à Mercedes para ser exposto no museu da empresa. O filho de José Mota Pereira apontou que não havia espaço suficiente na garagem para o guardar e que a melhor decisão seria ver o carro na Mercedes, pois "eles lá vão estimá-lo melhor" do que o pai em Portugal.

O Mercedes-Benz 200D W124 de 1988 foi adquirido pela Mercedes-Benz por cinco mil euros. Devido ao bom estado de conservação, o técnico da empresa que veio ao Porto para levar a viatura para o museu decidiu conduzir o carro até à Alemanha, cancelando o transporte por camião, como é costume acontecer nestas situações.

"O carro fez parte da nossa vida e foi uma peça de ferramenta que nos ajudou. Acompanhou-me em muitas situações difíceis e ele é que suportou a carga maior", revelou José Mota Pereira, acrescentando que o táxi "nunca andou em cima de um camião por avaria".

José Mota Pereira continua a trabalhar como taxista pelas ruas do Porto e atualmente conduz um outro modelo da marca, um Mercedes-Benz Classe E W210 de 2001, que já tem quase a mesma quilometragem que o veículo que está agora no museu da empresa.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG