Exclusivo

Têxtil em risco de perder 30 mil postos de trabalho

Têxtil em risco de perder 30 mil postos de trabalho

Associações ligadas ao setor dizem ainda que, se estiver tudo fechado depois de abril, prejuízo ascenderá a 600 milhões de euros.

São cerca de 30 mil os trabalhadores ligados à indústria têxtil que podem perder o emprego este ano, se não houver fim próximo para o segundo confinamento e para a pandemia, e, como denunciam os empresários, se o Governo não agilizar ajudas para as empresas que continuam abertas, ainda que sem encomendas.

César Araújo, presidente da Associação Nacional das Indústrias de Vestuário e Confeção (ANIVEC), lembra que, a seguir ao negócio do turismo e das viagens, "o têxtil é o terceiro que mais sofre com a pandemia e o novo confinamento". Mário Jorge Machado, da Associação Têxtil e Vestuário de Portugal (ATP), pinta um quadro negro: "As perspetivas para este ano são mais catastróficas do que as de 2020, cujas perdas se cifraram entre os 550 e os 600 milhões de euros".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG