Sindicatos

Trabalhadores da Groundforce recebem salários até segunda-feira

Trabalhadores da Groundforce recebem salários até segunda-feira

Os trabalhadores da Groundforce vão receber os salários em atraso até segunda-feira, disse o presidente da Plataforma de Sindicatos de Terra do Grupo TAP, André Teives, que está a ser ouvido na Assembleia da República.

"Os salários, fomos informados há pouco oficialmente, que entrarão na conta dos trabalhadores até à próxima segunda-feira", disse André Teives aos deputados da Comissão de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação.

O responsável considerou, no entanto, que a notícia "é um bom indicador no imediato, mas não resolve o problema" que a empresa de "handling" (assistência em aeroportos) tem em mãos, referindo-se à "questão acionista".

"Esperamos que [a questão acionista] seja resolvida com a manutenção da empresa tal qual a conhecemos", acrescentou André Teives.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (SITAVA), Fernando Henriques, também ouvido no Parlamento, acrescentou que o Governo garantiu às estruturas representativas dos trabalhadores que a solução hoje alcançada para desbloquear o pagamento de salários, que passa pela compra de equipamentos da Groundforce no valor de 7,5 milhões de euros, prevê "a recompra desse equipamento".

PUB

A Groundfore e a TAP chegaram esta quinta-feira a um entendimento que desbloqueia provisoriamente o impasse na empresa e permite pagar os salários aos 2400 trabalhadores, informou fonte oficial da Pasogal.

"O acordo alcançado agrada à Groundforce, até porque é muito semelhante ao que a empresa propôs desde o início. A Groundforce está, naturalmente, satisfeita por ter sido possível encontrar uma solução que permita pagar os salários aos trabalhadores e pôr fim à angústia de 2400 famílias", lê-se num comunicado enviado pela empresa de Alfredo Casimiro, acionista maioritário da Groundforce.

A Pasogal, acionista maioritária da empresa de "handling" (assistência de aeroportos) disse ainda que "resolvida a urgência", "continuará a empenhar os seus melhores esforços, certamente com o apoio dos acionistas Pasogal e TAP, no sentido de resolver a questão de fundo".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG