Economia

Trabalhadores da TNC prometem não sair do Campus da Justiça

Trabalhadores da TNC prometem não sair do Campus da Justiça

Os trabalhadores da TNC - Transportadora Nacional de Camionagem, que esta quinta-feira estão no Tribunal do Comércio de Lisboa, prometem não se retirar do local até que haja uma decisão judicial sobre a marcação de uma assembleia de credores.

"Fomos ouvidos apenas pelo Oficial da Justiça que nos disse que o processo se encontra despachado pela secção, estando em cima da secretária da juíza, e que, quando ela tiver tempo há-de proferir uma decisão", avançou aos jornalistas Anabela Carvalheira do Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários e Urbanos de Portugal (STRUP).

"Informamos que os trabalhadores vão continuar aqui à espera e depois de fazermos um intervalo para almoço, às 13.30 horas, voltaremos para o interior do Tribunal do Comércio de Lisboa para aguardar pelo despacho", explicou a dirigente sindical.

A sindicalista apelou a que a juíza "tenha em consideração" o facto de "estarem em causa 126 postos de trabalho" e revelou "que os trabalhadores estão à espera da decisão judicial para poderem receber o ordenado de agosto".

Os trabalhadores prometem "não arredar pé" até que seja tomada uma decisão pela juíza, e se isso não acontecer durante esta quinta-feira, dizem que ficarão em frente ao Campus da Justiça até amanhã.

A todas as horas certas, os trabalhadores sobem para os camiões e buzinam durante 10 segundos.

A situação esteve sempre calma e no local mantêm-se vários polícias numa atitude preventiva.

Os 51 camiões saíram pelas 6.30 horas de Alverca para realizarem, pela terceira vez, uma marcha lenta na EN10, e chegaram ao Campus da Justiça por volta das 8 horas e aguardam a decisão da juíza de marcar ou não a assembleia de credores.

Os camionistas já tinham rumado na terça-feira para o Campus da Justiça com 44 camiões, e apesar de não terem sido recebidos pela juíza, foram informados que esta quarta-feira, a juíza responsável pelo processo tomaria uma decisão sobre o futuro da empresa.

O processo de insolvência da Transportadora Nacional de Camionagem foi publicado a 5 de Janeiro de 2010 e em assembleia de credores, realizada a 11 de Julho ficou decidida a sua liquidação.

Os trabalhadores estão em luta e continuam em vigília na sede da empresa desde 14 de Julho.