Relação

Goldenergy condenada por não ter atendimento telefónico eficaz

Goldenergy condenada por não ter atendimento telefónico eficaz

O Tribunal da Relação de Lisboa e o Tribunal da Concorrência confirmaram a multa de 40 mil euros à Goldenergy, por falta atendimento telefónico eficaz, decidida pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), à qual a empresa tinha recorrido.

De acordo com um comunicado enviado esta terça-feira pelo regulador da energia, "o Tribunal da Relação de Lisboa e o Tribunal da Concorrência, Regulação e Supervisão confirmaram a decisão da ERSE de sancionar a Goldenergy, por não dispor de um sistema de atendimento telefónico eficaz entre 2014 e 2015, após duas decisões do Tribunal Constitucional de recusa de inconstitucionalidades".

O Conselho de Administração da ERSE decidiu, em 2016, aplicar uma multa de 50 mil euros à Goldenergy, tendo a empresa recorrido judicialmente daquela decisão.

Após vários recursos em tribunal, explicou o regulador, o plenário do Tribunal Constitucional pronunciou-se "no sentido de declarar não inconstitucional a norma do Regime Sancionatório do Setor Energético (RSSE) que determina que em caso de recurso de decisão condenatória da ERSE, o pagamento da coima determinada não fica suspenso".

Noutro acórdão, o Tribunal Constitucional decidiu, também, "que as normas do Regulamento da Qualidade do Serviço não são inconstitucionais".

Adicionalmente, o Tribunal da Concorrência, "por sentença de 17 de maio de 2021, confirmou a prática da infração", tendo condenado a Goldenergy ao pagamento de uma coima de 40 mil euros.

"Esta sentença foi confirmada, dando por totalmente improcedente o recurso da Goldenergy, por acórdão do Tribunal da Relação de Lisboa de 30 de julho de 2021, que transitou em julgado", acrescentou a ERSE.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG