Perfil

Turistas gastam em média 136 euros por dia no Algarve

Turistas gastam em média 136 euros por dia no Algarve

O gasto médio de um turista em férias no Algarve ronda os 136 euros por dia, revelou ao JN esta quinta-feira, Desidério Silva, presidente da Região de Turismo do Algarve, a propósito de um estudo sobre o perfil do turista na região, feito pela Universidade do Algarve.

O Algarve é avaliado de forma positiva por 98% dos turistas que visitaram o destino em 2016, sendo a praia, o clima, a gastronomia e as pessoas os principais atributos que justificam a satisfação dos visitantes

O estudo encomendado pela Região de Turismo do Algarve baseia-se em 4205 inquéritos, realizados em dois períodos: o primeiro, no período de julho a agosto, representativo da época alta do turismo na região, e o segundo no período de setembro a outubro.

PUB

Em termos económicos, cada visitante faz um gasto médio de 136 euros por dia, gerando uma receita estimada de 1400 euros por turista. No caso dos turistas residenciais, férias, reforma e investimento são os três principais fatores a justificar a decisão de fixar a base de férias no sul do país, contribuindo de forma decisiva para o impacte económico do turismo na região que registou um fluxo de dormidas superior a 18,1 milhões em 2016 (face a 16,6 milhões em 2015).

"O ano de 2016 foi bom e segundo as indicações que temos já dos operadores este ano será igual ou melhor", destaca ao JN, o presidente da RTA. "Para quem dizia que este era um destino estagnado, este estudo mostra o contrário. O Algarve é um destino de referência em todos os mercados emissores", acrescenta Desidério Silva.

Por cidades, Albufeira surge à cabeça dos destinos mais procurados, seguida de Portimão e Loulé. Estes três concelhos representam cerca de 70% das escolhas dos visitantes, ainda que haja outros a crescer de forma assinalável nos últimos anos, nomeadamente Lagos, Tavira e Faro.

O mercado britânico continua a liderar as preferências. O turismo tradicional é sobretudo proveniente de Portugal (21%), Reino Unido (25%) e Alemanha (11%), enquanto o turismo residencial alberga nacionais (42%), britânicos (19%) e franceses (8%). Aqui Desidério Silva destaca o acentuado crescimento dos gauleses nos últimos três anos.

"Até há poucos anos tínhamos poucas ligações aéreas com França e atualmente estamos a voar para mais de 12 cidades daquele país", sublinha o dirigente. Outro dado a ter em conta, segundo o mesmo estudo, é o crescimento do alojamento local, que, ano após ano, ganha consistência e quota de mercado.

Assim, no caso do turismo residencial, além da casa própria, os visitantes utilizam também o arrendamento privado (47%) que é reservado maioritariamente online (61%), no Booking.com (23%) ou no AirBnb (28%),

Em conclusão, o Algarve é avaliado de forma positiva por 98% dos turistas que visitaram o destino em 2016, sendo a praia, o clima, a gastronomia e as pessoas os principais atributos que justificam a satisfação dos visitantes. Já nos aspetos a melhorar, os inquiridos destacam o serviço (atendimento), o trânsito e o estacionamento.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG