Covid-19

UE dá a Portugal 37,5 milhões antecipados para enfrentar a pandemia

UE dá a Portugal 37,5 milhões antecipados para enfrentar a pandemia

A Comissão Europeia anunciou que Portugal irá receber 37,5 milhões de euros em pagamentos antecipados, através do fundo de solidariedade da União Europeia, para ajudar a enfrentar "o surto de covid-19 e os seus efeitos".

Em nota de imprensa, a Comissão Europeia referiu que, "na sequência do pedido de ajuda para fazer face ao surto de covid-19 e seus efeitos", irá dar 37,5 milhões de euros a Portugal em "pagamentos antecipados".

"Trata-se de um pagamento antecipado, tal como pedido pelo governo português, e encontra-se pendente da apreciação da candidatura apresentada, não antecipando o valor final" previsto para Portugal, sublinha o executivo comunitário, em nota à Lusa.

O anúncio surge após, em junho, Portugal ter entregado ao executivo comunitário uma candidatura ao fundo de solidariedade europeu para mitigar os efeitos económicos provocados pela pandemia de covid-19.

Em comunicado publicado na altura, o Governo referia ter submetido um pedido de "apoio para despesas elegíveis no valor de 3,5 mil milhões de euros".

No pedido, estavam incluídas despesas do Estado relativas a "equipamentos e dispositivos médicos, análises laboratoriais, equipamentos de proteção individual, reforço de meios do Serviço Nacional de Saúde e reforço da rede de Cuidados Continuados", sublinhava o comunicado.

PUB

Além de Portugal, também Alemanha, Irlanda, Grécia, Espanha, Croácia e Hungria recorreram ao fundo de solidariedade pelas mesmas razões, tendo a Comissão anunciado esta sexta-feira que atribuía, no total, 132,7 milhões de euros aos sete países.

O executivo comunitário encontra-se agora realizar a avaliação das candidaturas submetidas pelos Estados-membros e, apenas quando essa avaliação estiver completa, "será feita uma proposta com os valores finais".

Citada na nota de imprensa, a comissária portuguesa, Elisa Ferreira - com a pasta da Coesão e Reformas -, referiu que as verbas hoje anunciadas são "mais outra prova importante do que significa a solidariedade da UE, o coração do projeto europeu".

Cabe agora ao Parlamento Europeu (PE) e ao Conselho Europeu aprovarem os fundos anunciados para que a ajuda financeira possa ser desbloqueada.

Criado em 2002, o Fundo de Solidariedade da UE é normalmente mobilizado para os países assolados por catástrofes naturais. No entanto, devido à situação excecional originada pela pandemia de covid-19, foi, a partir deste ano, alargado para fazer face a emergências sanitárias.

Em abril, Portugal recebeu 8,2 milhões de euros através deste mecanismo, na sequência dos danos provocados pelo furacão Lorenzo na região autónoma dos Açores.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG