SCUT

Utentes das SCUT prometem acções de luta

Utentes das SCUT prometem acções de luta

Revolta e promessa de protestos e acções de luta. Esta é reacção dos utentes das SCUT, com especial ênfase para as rodovias que serão portajadas já a partir de 15 de Outubro.

"Esta tomada de posição do Governo não é agradável, defendemos o que continuamos a defender há muito tempo, que a A28 não deve ter portagens,  porque a EN 13 não é uma via alternativa, isto porque quando construíram o IC1, agora A28, a N13 já não comportava o tráfego existente. Estava prevista uma reunião com todas as comissões de utentes, quer das três SCUT do Norte, quer das restantes para 25 de Setembro, mas poderá ser antecipada", disse Jorge Passos, dirigente do Movimento Não às portagens na A28. "Está na hora dos autarcas se unirem a esta luta, porque com portagens a região do Alto Minho ficará muito pouco atractiva", acrescentou,. 

 A comissão de utentes da A42 (Porto-Lousada) acredita que o Governo vai recuar na decisão de cobrança de portagens nesta SCUT "quando for confrontado com os protestos da população". Gonçalo Oliveira defende que a região está a enfrentar "uma crise económica e social sem precedentes" e que esta decisão do Governo, por ser "injusta e lamentável", vai gerar "uma onda de protestos".

"O Governo escolheu o caminho do confronto e vai tê-lo, porque esta decisão é uma afronta grave aos direitos das pessoas e empresas numa região que não tem estradas alternativas em condições nem índices elevados de poder de compra", disse Francisco Almeida, dirigente da Comissão de Utentes contra as Portagens na A25, A23 e A24. "Vamos decidir brevemente as acções de protesto a tomar. Se calhar, uma delas pode ser apelar às transportadoras de mercadorias para circularem e entupirem a EN 16".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG