Economia

Veículos a GPL vão poder aparcar em zonas subterrâneas

Veículos a GPL vão poder aparcar em zonas subterrâneas

A Comissão Parlamentar de Economia e Obras Públicas aprovou, esta quarta-feira, um projeto-lei que prevê que os veículos a GPL e a gás natural passem a poder estacionar em parques subterrâneos e deixem de ter de usar dístico.

"Depois de ouvir quatro associações do setor e de efetuar algumas alterações ao projeto-lei inicial, a comissão redigiu um texto comum que foi aprovado por todos os partidos", disse à Lusa a deputada socialista Hortense Martins.

O projeto-lei que visa acabar com a proibição de os carros que usam GPL (gás liquefeito) em parques subterrâneos e com a obrigatoriedade de estes veículos ostentarem um dístico identificativo foi apresentado pelo PS em fevereiro deste ano, mas baixou à Comissão de Economia e Obras Públicas.

"São dois elementos discriminatórios que não fazem sentido e que obstaculizam um maior uso do GPL, quando o mesmo deveria ser incentivado por se tratar de um combustível mais barato, mais verde e menos poluente", afirmou a deputada.

Invocando um estudo elaborado para a APETRO - Associação Portuguesa de Empresas Petrolíferas, os socialistas consideram que "está provado que não existe risco na circulação nem no estacionamento deste tipo de veículos", que já dispõem de "sistemas adequados de segurança".

Segundo o PS e a APETRO, Portugal é também "dos poucos países europeus" onde estes automóveis continuam a não poder usar os parques subterrâneos" e, juntamente com a Bulgária e a Hungria, os únicos onde se mantém a obrigatoriedade do dístico.

O projeto-lei que baixou à comissão mereceu, esta quarta-feira, o consenso de todos os partidos, depois de "efetuadas algumas alterações como o alargamento das novas normas aos carros a gás natural", acrescentou a deputada.

O novo projeto-lei aguarda agora aprovação no plenário, no qual a deputada espera que seja votado "com urgência" para "resolver uma situação que afeta milhares de consumidores" e acabar com os constrangimentos que levam a que em Portugal "estes veículos não tenham a expansão que se verifica noutros países".

Segundo o PS, que cita dados da AEGPL (a associação europeia do setor), "a quota de mercado no ano de 2010 associada ao GPL Auto na Europa ascendia a 5% do total do parque automóvel".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG