Exclusivo

Venda de espumante da Bairrada caiu 30% devido à pandemia

Venda de espumante da Bairrada caiu 30% devido à pandemia

Festas em casa e ofertas atenuaram quebras. Produto fica a estagiar e ganha qualidade.

A Bairrada, a região onde se produz a maior parte do espumante do país, deixou de vender um milhão de garrafas desta bebida em 2020. Outras zonas, como Lamego, Tarouca, Melgaço e Monção também não escaparam às quebras nas vendas. Reflexos de uma pandemia que impediu festejos de norte a sul, mas deixou o produto a ganhar qualidade nas caves.

Nas caves Messias, na Mealhada, há mais 150 mil garrafas de espumante do que seria previsto. "De janeiro a outubro, a quebra na venda de espumante foi na ordem dos 50%. Em novembro e dezembro a redução foi menor, na ordem dos 25%", explicou ontem ao JN José Vigário, administrador das Caves Messias, empresa fundada há 94 anos na região bairradina. Contas feitas, isso representa "cerca de 150 mil garrafas" que ficaram por vender em 2020, comparativamente com igual período de 2019.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG