Mais de dez postos de abastecimento do distrito de Bragança já esgotaram todos ou parte dos combustíveis. Solução passa por atravessar a fronteira e abastecer em Espanha.

Combustíveis

Condutores de Bragança atravessam a fronteira para abastecer

Condutores de Bragança atravessam a fronteira para abastecer

As reservas dos postos do distrito não podem ser repostas devido à greve dos motoristas de transporte de matérias perigosas que está a afetar todo o país. Na cidade de Bragança, há quatro postos sem gasóleo e um sem qualquer outro combustível. Há casos onde só já fornecem corporações de bombeiros. O problema afeta ainda gasolineiras de Macedo de Cavaleiros, Miranda do Douro, Mirandela e Carrazeda de Ansiães.

Em Bragança, desde terça-feira que os funcionários dos postos de abastecimento não têm mãos a medir. A grande afluência às bombas foi atestada por João Lopes, funcionário num posto de abastecimento, que desde as 8 horas não parou de encher depósitos. "As pessoas estão preocupadas com a greve", afirmou.

Arménio Batista, trabalha numa empresa que fornece serviços à EDP, e conta que têm a recomendação de suspender todos os serviços que não tenham carácter de urgência, "por precaução e para termos combustível suficiente para as urgências", afirmou. Todavia, a localização transfronteira pode ser uma alternativa em caso de necessidade. "Como estamos perto de Espanha podemos ir lá abastecer as viaturas", acrescentou.