Economia

Vindima de 2020 traduziu-se em vinhos de "elevada qualidade"

Vindima de 2020 traduziu-se em vinhos de "elevada qualidade"

A sociedade dos vinhos Borges divulgou o relatório de vindima do ano vitícola 2019-2020, na Quinta da Soalheira (Douro), na Quinta de São Simão da Aguieira (Dão), na Quinta de Simaens e na Quinta do Ôro (Região dos Vinhos Verdes). Desta vindima "esperam-se vinhos brancos encorpados e frescos e vinhos tintos de elevada qualidade", revela José Maria Machado, enólogo da Borges.

Apesar de um ano marcado pela pandemia e pelas alterações climáticas imprevisíveis, são esperados vinhos de "elevada qualidade". Foi um ano que exigiu "trabalhos adicionais e um olhar atento e minucioso das equipas de viticultura e enologia", lê-se no relatório.

A vindima de 2020 foi caracterizada pela necessidade constante de adaptação aos métodos de trabalho, pela segurança das equipas e pela garantia da realização dos trabalhos nas vinhas no tempo devido.

No Douro, o ano vitícola é relembrado pelas "constantes mudanças de temperaturas", que se traduziu numa maior preocupação com as vinhas e numa vindima mais curta que o habitual. O Dão destacou-se pelos efeitos das "temperaturas altas" que resultaram na aceleração inesperada das maturações das castas. Na região dos Vinhos Verdes as precipitações agitadas, bem como as elevadas temperaturas, desafiaram o "controlo da sanidade da vinha".

Foi um "ano marcado pelo clima extremo, vindima precoce, maturações repentinas e uvas de elevada qualidade e concentração", afirma Pedro Martins, responsável de viticultura da Borges.

Outras Notícias