Aniversário JN

Vinhos de estalo com direito a prova ao vivo

Vinhos de estalo com direito a prova ao vivo

Revista "Evasões" promoveu encontro no restaurante Wine Corner, do Grupo José Maria da Fonseca, e convidou dois leitores.

Carlos Cruz e Carlos Lavadinho não se conhecem, mas partilham algo além do nome: em algum momento já se cruzaram com a história da José Maria da Fonseca (JMF), um negócio de família com quase dois séculos ligado à atividade vinícola. Ambos venceram o passatempo da revista "Evasões" e do "Jornal de Notícias" que levou dois leitores a participar numa prova de vinhos no Wine Corner, restaurante e wine bar do Grupo JMF, recentemente inaugurado, em Azeitão, Setúbal.

A iniciativa, decorrida ontem, integra as comemorações dos 133 anos do JN, que se assinalam na próxima quarta-feira. "Foi muito agradável. Aprendi algo que desconhecia. Tem um sentimento particular, porque o meu avô, que eu não conheci, era tanoeiro desta casa. Portanto, eu cresci a ouvir imensas histórias relacionadas com a José Maria da Fonseca", conta Carlos Cruz, de 61 anos.

Para Carlos Lavadinho, de 55 anos, o momento serviu para reviver velhos tempos. "Foi uma ótima experiência. A minha infância foi passada em Vila Fresca de Azeitão, aqui ao lado. A fábrica era lá", recorda, com saudosismo, o leitor assíduo da revista "Evasões", que foi do Estoril para a prova.

O evento foi conduzido pelo crítico de vinhos da "Evasões" Fernando Melo, e pelo vice-presidente e principal enólogo da José Maria da Fonseca, Domingos Soares Franco, que soma 40 vindimas e 40 anos na empresa de família.

À mesa, para prova, estiveram quatro vinhos, entre os quais dois tintos: o vinho Periquita, conhecido como o primeiro vinho tinto engarrafado em Portugal, e o José de Sousa Reserva, que durante oito meses estagia em barricas novas de carvalho-francês e americano. A estes, somou-se ainda um branco - que Domingos Soares Franco guarda para reserva pessoal, numa escolha especial (coleção privada) - e o famoso moscatel de Setúbal, produzido a partir da casta moscatel.

Fernando Melo, crítico de vinhos, não poupou nos elogios: "Todas as provas feitas nesta casa são históricas e o Domingos carrega uma tradição enorme".

PUB

Para Domingos Soares Franco, que se prepara para abrir a porta à sétima geração, o consumidor dirá ou não se resultou a maneira como reinventou a forma de se fazer vinho no país. "Tendo sempre ouvido falar em viticultura e enologia, decidi que este ia ser o meu caminho. Acho que resultou".

60% da produção

O Grupo José Maria da Fonseca exporta 60% da produção. É uma empresa 100% familiar gerida pelas 6.ª e 7.ª gerações.

70 países

Os vinhos da José Maria da Fonseca estão presentes em mais de 70 países. O Brasil é um dos principais destinos de exportação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG