Economia

Zona Euro pondera taxa bancária para ajuda à Grécia

Zona Euro pondera taxa bancária para ajuda à Grécia

Os governos dos países da zona euro estão a ponderar a introdução de uma taxa bancária no âmbito do novo pacote de ajuda financeira à Grécia, noticia, esta segunda-feira, o matutino alemão Die Welt, citando fontes diplomáticas.

A referida taxa deverá abranger também os bancos que não estão directamente envolvidos em transacções financeiras na Grécia, adianta o mesmo jornal.

Além da taxa a incidir sobre o capital bancário, o sector privado deverá contribuir para o resgate à Grécia através da compra ou prolongamento da maturidade de títulos da dívida grega que possuam, e cujo prazo de validade esteja prestes a expirar.

O Die Welt refere ainda que o Fundo Monetário Internacional (FMI), que participa nos resgates dos países da zona euro com problemas da dívida soberana, incluindo Portugal, discorda da forma de agir do Eurogrupo, e estará a pensar retirar-se de futuros resgates.

Os representantes do FMI duvidam de que a Grécia possa cumprir integralmente programa de austeridade que negociou com a União Europeia e com o próprio FMI, e acham que são necessárias outras soluções, nomeadamente a reestruturação da dívida grega, dizem as fontes consultadas pelo Die Welt.

No fim de semana, o presidente do banco central alemão, Jens Weidmann, advertiu, no entanto, contra os riscos de uma reestruturação da dívida helénica, e a chanceler alemã, Angela Merkel, em entrevista à televisão pública ARD, também se mostrou céptica quanto a esta solução, embora não a tenha excluído inteiramente.