Mobilidade Prevenida e Segura

Quando é que um intervalo maior pode ser uma grande dor de cabeça?

Quando é que um intervalo maior pode ser uma grande dor de cabeça?
Produzido por:
Brand Story

Não estamos a falar do intervalo de um jogo de futebol, mas sim do intervalo entre as revisões do seu automóvel. Vamos esclarecer alguns mitos, para que não haja cartões vermelhos.

Para uns está relacionado com a troca do óleo do motor. Para outros, com a inspeção obrigatória. Outros há que só se lembram quando o painel de instrumentos se ilumina como se fosse Natal. A verdade é que não existe uma resposta 100% certa no que diz respeito aos intervalos entre manutenções do seu automóvel. Ou melhor, talvez haja: eles são muito importantes.

Manter um intervalo regular entre manutenções é especialmente importante para detetar equipamentos defeituosos ou eventuais pontos de risco de fadiga dos metais ou nas peças de desgaste. Uma regra básica que pode ser seguida é a de uma revisão a cada 10 mil quilómetros ou a cada 6 meses, dependendo de qual acontece primeiro.

Nestas revisões devem ser feitas inspeções - visuais ou mais profundas - a sistemas como o motor, transmissão, escape e travões, para assegurar que todos os lubrificantes estão no nível correto e apresentam a viscosidade e limpeza desejadas, bem como a sistemas menos complexos como o ar condicionado, as escovas de limpeza do para-brisas, ou as borrachas selantes das portas, as quais evitam infiltrações no inverno.

Mas não menos importante é a manutenção dos seus pneus MICHELIN, o que nem sempre implica a substituição dos mesmos. Ainda assim, caso o rasto dos pneus ainda cumpra com os requisitos mínimos e legais de segurança - cerca de 1,6 mm de profundidade - existem vários fatores que devem ser inspecionados para evitar consumos elevados, condução desconfortável ou até acidentes.

Tenha em mente um prazo máximo de 10 anos após o fabrico para manter os seus pneus, mesmo que não aparentem estar em mau estado ou que o carro em questão faça "poucos quilómetros". Depois de 10 anos, a borracha dos pneus certamente já perdeu muitas das propriedades que garantem aderência e estabilidade na estrada.

Nesse sentido, os pneus MICHELIN CrossClimate, apresentam-se como uma solução fiável para todas as estações do ano. Um pneu com componentes inovadores, que devido ao seu design único maximiza a aderência em todos os tipos de piso. Garante uma mobilidade segura do primeiro ao último quilómetro.

No que diz respeito a intervalos de inspeção, a regra de ouro é no mínimo uma inspeção profissional por ano, em especial para pneus com mais de 5 anos de utilização. Nesta inspeção deve ser avaliada a existência de deformações na parede do pneu, se o desgaste do mesmo é desigual entre os dois lados, se o talão do pneu e se as suas válvulas estão em condições corretas para circular, entre outros fatores.

Dois procedimentos que deve ter em conta numa revisão regular aos seus pneus devem ser o ajuste da pressão e o alinhamento. Isto porque muitas vezes por desconhecimento ou por falsa intuição, os pneus estão excessivamente cheios, o que faz com que a maioria da carga seja suportada pelo corredor central, causando desgaste desigual e acelerado. Por outro lado, o desalinhamento da direção pode provocar danos nas laterais dos pneus do seu automóvel, potenciando furos e provocando uma experiência de condução menos confortável e precisa.

Por tudo isto, faça um pequeno intervalo (na utilização) e dê ao seu automóvel alguns minutos de atenção e cuidado que podem resultar em muitos e bons anos de condução sem problemas.