O Jogo ao Vivo

Conteúdo Patrocinado

Resende: um cantinho de Viseu onde (também) nasceu Portugal

Resende: um cantinho de Viseu onde (também) nasceu Portugal
Produzido por:
Brand Story

Portugal é feito de histórias por contar e numa das vilas vai encontrar a lenda milagrosa que salvou o primeiro rei de Portugal. Com destino à aventura, boa comida e, claro, uma boa lenda, Resende deve ser ponto de paragem quando viajar cá dentro.

Reza a lenda que Nossa Senhora de Cárquere apareceu nos sonhos de Egas Moniz, aio de D. Afonso Henriques, e lhe prometeu a cura do rei, que sofria de uma malformação das pernas. Para isso, Egas Moniz tinha de se deslocar até Cárquere. Assim foi.

Com o milagre da cura de Cárquere ou não, a realidade é que o concelho de Resende faz parte do nascimento do nosso país. Mas como de lendas não se faz apenas a história, a realidade é que a vila de Resende oferece muito mais do que isso.

Um dos pontos de paragem deste destino é o Mosteiro de Santa Maria de Cárquere, onde, da construção românica do complexo monástico de Cárquere, apenas resta a torre e a fresta da capela funerária dos Resendes. Como foi escrito na história, a Cárquere liga-se ao poder senhorial desta família, cruzando-se a lenda da cura do primeiro rei, que atribui a fundação deste Mosteiro a Egas Moniz.

De entre os Monumentos da Rota do Românico, deve ainda marcar como ponto de paragem a Igreja de Santa Maria de Barrô e a Igreja de S. Martinho de Mouros. Esta última, edificada no século XIII, cumpre ainda hoje as funções para as quais foi construída: a liturgia. Já a Igreja de Santa Maria de Barrô, fundada no século XII, é a porta de entrada da Região do Alto Douro Vinhateiro e um local de paragem obrigatória.

Continuando numa viagem pela história, é no Museu Municipal de Resende, inaugurado em 2006 após obras de recuperação e ampliação na antiga Cadeia de Resende construída na década de 30 do século passado, que vai encontrar um espaço identitário do território e da sua população, assumindo como sua missão de estudo a salvaguarda e divulgação do património do concelho.

Vila rica em experiências que ultrapassam o horizonte

Resende tem trilhos e rotas lendárias que vão dar a miradouros com paisagens que se estendem pelo horizonte e cascatas em recantos inimagináveis do rio Cabrum. Para os descobrir basta partir à aventura e viajar no tempo. Mas caso pretenda que a viagem seja mais "rápida", então os passeios de moto 4 pela serra - e a dois - são a escolha ideal.

Se a viagem também deve ser feita por água como manda a tradição, Resende disponibiliza várias experiências de canyoning e passeios de barco, juntando-se ainda a escalada, paintball e BTT. Com a dose certa de aventura consigo, é chegado o momento de descansar e nada melhor do que fazer numa paragem pela Estância Termal de Caldas de Aregos.

Reconhecidas pelas suas águas de valor terapêutico para problemas do sistema musculoesquelético, das vias respiratórias e reumatológicas desde o século XVII, a estância termal conta com uma área de tratamentos, ginásio, piscina e saúna/banho turco.

Descanso e natureza para momentos de descoberta e inspiração

Com o sol à espreita, é o momento de passear pelo melhor que Resende tem para lhe oferecer. Assim, faça uma paragem pela Ponte da Panchorra, um dos grandes exemplos de arquitetura tradicional que está implantada a cerca de 1000 metros de altitude e une as margens do rio Cabrum. Esta Ponte tem dois arcos e apresenta um aparelho regular nas pedras que formam o arco e um aparelho irregular nas pedras da restante estrutura. Esse tipo de construção pode ser sinónimo de um trabalho de mestres locais ou regionais, destinado a colmatar as necessidades de acesso da comunidade às suas propriedades agrícolas e silvícolas.

É desde o alto da serra de Montemuro e até ao desaguar do rio Douro que vai conseguir observar as cascatas e poços do Cabrum. Ao longo do percurso, vai encontrar moinhos que, pela força da água do rio, cumprem ainda hoje a sua função. Dos recantos às pequenas cascatas e lagos naturais, esta zona de Resende convida a momentos de descoberta e inspiração sempre com a presença do rio, uma das grandes mais-valias da região.

A paleta que sabores que não deixa ninguém indiferente

Falar de Resende é também falar de cerejas. Foi nesta vila do distrito de Viseu que surgiram as primeiras cerejas da Europa, tendo sido as dinamizadoras de uma grande fatia da economia local. Com o seu valor bem reforçado, este produto é todos os anos celebrado com o Festival dedicado à cereja que atrai multidões de todos os pontos do nosso país.

As Cavacas de Resende são bem conhecidas destes tempos imemoriais. Na Páscoa e no Natal este doce era oferecido como folar, mas hoje as cavacas já se encontram à venda durante todo o ano e em qualquer café, pastelaria e restaurante do concelho. Com uma confeção aparentemente fácil e a precisar de apenas quatro ingredientes (ovos, farinha, açúcar e água), há muitas pessoas a confecionar este doce, garantindo que a tradição se mantém. O resultado dará origem a um doce maravilhoso, tendo disputado em 2019 a meia-final das "7 Maravilhas Doces de Portugal".

A riqueza da diversidade gastronómica de Resende proporciona uma paleta de aromas e sabores, não deixando ninguém indiferente. Exemplo disso mesmo é o anho assado que, acompanhado com batata assada e arroz no forno, é um dos pratos que marca presença em eventos especiais

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG