Campo Santana

A um passo da rainha

Colado ao Campo Mártires da Pátria, numa zona central da cidade, há um novo restaurante de requinte palaciano, pensado para proporcionar todo um reino de sabores e experiências.

Estar no centro sem estar no turbilhão do turismo é uma das grandes vantagens do Paço da Rainha. Fica numa zona da cidade preservada e em boa parte recuperada, numa rua que recebeu recentemente painéis de azulejos e que merece um passeio a pé até ao Campo Mártires da Pátria, quem sabe depois do almoço ou do jantar. Ali, parece que ainda há uma Lisboa autêntica.

A sala tem um ambiente que oscila entre o requintado e o descontraído. Uns esbatidos cor de rosa e verde dominam as paredes, com vários quadros e pratos, tornando o espaço acolhedor. Há mesas redondas e quadradas, e um televisor sempre ligado na rádio Smooth. A sala tem claramente inspirações palacianas, sem que esse traço seja demasiado vincado, já que ao lado fica o Palácio da Bemposta, antiga residência da rainha Catarina de Bragança. A mesma que introduziu o hábito do chá em Inglaterra. Aliás, em jeito de memória dessa curiosidade, o restaurante introduziu um chá das cinco, para já apenas aos sábados. A acompanhar uma boa variedade de chás, pode pedir-se scones caseiros, vários doces, macarons.

Para as refeições, há um menu fixo e um menu do dia, que não varia conforme o dia da semana, mas consoante a vontade e inspiração do chef António Latas. O conselho aqui é arriscar, sem sombra de risco, e deixar que as diferentes combinações de sabores preparadas na cozinha surpreendam. Mas há sugestões que se podem dar.

Para entrada a cavala marinada com torricado e azeite de coentros é uma opção a considerar, mas o tártaro de atum dos Açores com manga e sal de wasabi é daquelas experiências que vão ficar na memória, ainda que o folhado de queijo de Azóia com compota de abóbora mereça referência. A verdade é que qualquer das hipóteses não desilude. Longe disso.

O capítulo dos pratos de inspiração do dia pode incluir, por exemplo, robalo crispado com chao min de cogumelos e molho de ostras, ou lombo de novilho maturado com foie gras sobre risoto de ovo trufado. Para sobremesa o pudim de gemas dos frades de Alcobaça com creme de laranja fresca de Setúbal é a escolha. O doce do pudim com o amargo da laranja é a combinação certa para terminar, saindo do restaurante com a certeza de que a rainha Catarina de Bragança sairia satisfeita. Com ou sem chá.

Paço da Rainha
Rua Paço da Rainha, 66 (Campo Mártires da Pátria)
Tel.: 218852752
Das 12h30 às 15h00 e das 19h30 às 23h00. Encerra domingo ao jantar à segunda.
Preço médio: 28 euros

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG