Lusa

BPN: Ângelo Correia diz que "nunca pediria" demissão de Dias Loureiro

BPN: Ângelo Correia diz que "nunca pediria" demissão de Dias Loureiro

Viana do Castelo, 26 Nov (Lusa) - O social-democrata Ângelo Correia garantiu hoje que "nunca pediria" a demissão de Dias Loureiro do Conselho de Estado na sequência do "caso BPN", sublinhando que a função de julgar compete aos tribunais.

"Eu nunca o faria [pedir a demissão de Dias Loureiro]. Eu não julgo. Quem tem funções de julgar não sou eu. Quem sou eu para julgar os outros?", disse Ângelo Correia, em declarações aos jornalistas.

Segundo Ângelo Correia, "o pressuposto de que há problemas relacionados com pessoas do PSD" no caso das alegadas irregularidades na gestão do grupo Banco Português de Negócios (BPN) "é meramente indicativo".

"Não há qualquer evidência até que qualquer tribunal o decida", acrescentou.

Ângelo Correia admitiu não conhecer "todos os contornos" do caso BPN e, como tal, escusou-se a tecer quaisquer outros comentários.

"Só perante o conhecimento global é que se pode dizer o que pensamos sobre as questões e as pessoas", afirmou.

Ângelo Correia falava em Viana do Castelo, à margem de uma conferência sobre o tema "A crise e as oportunidades obrigatórias", promovida pelo Banco Internacional do Funchal (Banif).

O social-democrata frisou que a crise mundial não é apenas financeira e económica, mas também de civilização, de valores, de pessoas e de instituições.

"O mundo habituou-se a viver de acordo com padrões que não podia e não devia", referiu, sublinhando que a crise também se faz sentir em Portugal.

"Há quem procure dizer que somos uma ilha isolada do mundo, que a crise não chega cá, que cá tudo se vai passar diferente do resto do mundo. É uma ilusão, é um erro", advertiu.

Defendeu que Portugal, além dos problemas que afectam todo o mundo, debate-se ainda com problemas próprios, "que rebentaram há dez anos e que não se resolveram".

VCP.

Lusa/fim