Lusa

Sindicatos: CGTP impõe limite de 3% aos aumentos salários dos sindicalistas e funcionários

Sindicatos: CGTP impõe limite de 3% aos aumentos salários dos sindicalistas e funcionários

Lisboa, 14 Jan (Lusa) - A CGTP decidiu limitar a três por cento os aumentos das remunerações do pessoal dirigente, técnico e administrativo, segundo o orçamento que a central sindical hoje aprovou.

A CGTP aprovou hoje o seu orçamento para este ano, que prevê uma quebra de 1,9 por cento na receita relativamente ao que está estimado para 2008, devido à diminuição prevista das quotizações.

A centraL prevê receber 2,250 milhões de euros de quotizações ao longo deste ano -menos 50 mil que o estimado para 2008.

Os custos com remunerações vão totalizar 1.404.200 euros em 2009, sendo que 1.025.000 se destinam aos salários do pessoal e 379,2 mil euros aos salários dos dirigentes.

Tendo em conta a quebra de receitas, a central diz que tentou conter e reduzir despesas, nomeadamente nos "fornecimentos e serviços externos" que, com um valor de 558.300 euros, representam uma diminuição de 4,5 por cento em relação ao estimado para 2008 e de 10,6 por cento relativamente ao que foi orçamentado para 2008.

Os custos com remunerações juntamente com os fornecimentos e serviços externos representam cerca de 70,8 por cento do total da despesa.

Os custos financeiros previstos no Orçamento da CGTP (25 mil euros) são relativos aos juros decorrentes da aquisição da sede histórica da central.

"Face à actual situação financeira, o exercício de 2009 terá de ser objecto de um ainda mais rigoroso e permanente controlo orçamental, sendo eventualmente necessário apresentar um Orçamento rectificativo aos órgãos da central", admite a Inter no documento.

A CGTP justifica que com a actual conjuntura não é possível apresentar um Orçamento excedentário mas apenas apresentar um montante e receitas igual ao montante dos custos.

O orçamento da CGTP prevê receita e despesas no valor de 2.772.000 euros.

RRA.

Lusa/Fim