Lusa

Macau: Dezenas de populares à espera da nota comemorativa dos Jogos Olímpicos (C/FOTOS)

Macau: Dezenas de populares à espera da nota comemorativa dos Jogos Olímpicos (C/FOTOS)

Macau, China, 15 Jul (Lusa) - Dezenas de pessoas concentraram-se hoje nas várias sucursais do Banco da China em Macau, onde quarta-feira serão colocadas à venda as notas comemorativas dos Jogos Olímpicos de Pequim.

Numa ronda pela cidade, ao início da madrugada (a diferença horária é mais sete horas do que Lisboa), dezenas de pessoas estavam já concentradas à porta de diversas sucursais do Banco da China, onde a polícia ainda montava alguns dispositivos para manter a ordem, e passavam o tempo entre a leitura de jornais, uma sesta ou um jogo de cartas.

PUB

O Banco da China em Macau emitiu um total de quatro milhões de notas das quais metade vai estar à venda no território, a partir de quarta-feira e até 31 de Julho, ao preço de 88 patacas (cerca de sete euros).

As notas, com um valor facial de 20 patacas, vão ser vendidas em cinco pacotes diferentes denominados "Golden Lotus", "Triumphant Spirit", "Radiant Joy", "Harmonious Union" and "United Pleasure".

O pacote Golden Lotus integra apenas uma nota, o "Triumphant Spirit" surge numa série de quarto notas não cortadas, "Radiant Joy" com uma nota emitida pelas autoridades de Hong Kong, o "Harmonious Union" com duas notas - uma de Hong Kong e outra de Macau - e "United Pleasure" com o conjunto de quatro notas de cada um dos dois territórios sem estarem cortadas.

Após a venda ao público, o Banco da China em Macau vai realizar um leilão de vários conjuntos de notas relacionadas entre si e com números especiais, muito procurados pela comunidade chinesa residente.

A face principal das notas apresenta o emblema dos Jogos Olímpicos e a imagem das ruínas do mítico estádio olímpico e a imagem da sede do Banco da China em Macau. O verso da nota apresenta o "Ninho" o novo Estádio Nacional da China, tendo como fundo a flor de Lotus, o símbolo da Região Administrativa Especial de Macau.

JCS.

Lusa/fim

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG