O regresso à fábrica Valadares

Cerca de 40 dos antigos trabalhadores da Cerâmica voltaram à sua fábrica de sempre. Depois de anos de insolvência, Valadares reabriu e está a projetar um novo futuro para muitos dos que nele sempre acreditaram.

 
Reportagem Carla Sofia Luz
Vídeo
Lúcia Sousa

Q uando fechou em 2012 deixou mais de 300 operários sem emprego, mas a esperança de um regresso à Valadares nunca abandonou muitos dos trabalhadores.

Um ano depois, foi proposta a liquidação da empresa, mas o administrador judicial desafia Henrique Barros e José Ferreira a desenhar um plano viável. No ano passado, à segunda tentativa, os investidores apoiaram a sociedade ARCH, que projeta, pela mão do antigo colaborador e atual diretor-geral Henrique Barros, recuperar a marca Valadares nos próximos cinco anos.

Há mês e meio, os fornos reacenderam. Cerca de 40 dos antigos trabalhadores da Cerâmica voltaram a cruzar os portões, a ter para onde ir e provaram a familiares e a amigos, já descrentes numa segunda vida da Valadares, que a esperança não era infundada.

Até Novembro, mais trabalhadores vão ser contratados e o número de colaboradores subirá para 135.