O ritmo
da covid-19
em fevereiro
e março

 

Miguel Conde Coutinho

O índice de transmissibilidade da covid-19 é um dos dados a que o Governo vai estar atento para decidir o andamento do alívio das restrições, no âmbito do plano de desconfinamento.

 

 

 

O indicador R(t) mede o ritmo a que uma infeção é transmitida.

Quando está acima de 1, significa que cada infetado transmite a doença a outra pessoa. Se for 2, transmite a 2 pessoas, e assim sucessivamente.

Quando o R(t) é maior do que 1, a pandemia está a crescer. Quando está abaixo de 1, o ritmo de infeções está a diminuir.

Desde que há casos de covid-19 em Portugal, o Instituto Nacional Ricardo Jorge (INSA) tem medido o R(t) em Portugal e registado a sua evolução em todas as regiões nacionais. A instituição divulga números até ao final da semana anterior do dia de publicação.

Segundo o que foi divulgado a 12 de março, em fevereiro, o número desceu até dia 11. Portugal chegou a ter a média mais baixa da Europa neste indicador. O R(t) em todo o território nacional começou entretanto a subir, embora tenha mantido sempre níveis bem abaixo de 1.

 

Evolução Nacional do R(t)
Dados de fevereiro até 7 de março

 

Evolução nas regiões do R(t)
Dados de fevereiro até 7 de março.
Carregue nas linhas para isolar a região

 

 

No gráfico seguinte, pode ver os efeitos que as restrições tiveram na taxa de transmissão do vírus, em todo o território nacional.

 

Evolução Nacional do R(t)
Efeitos das restrições de janeiro (dados até 31 de janeiro)