Música

A bolsa usada para manter em segredo os concertos de Madonna

A bolsa usada para manter em segredo os concertos de Madonna

Os concertos de Madonna em Lisboa estão marcados pelo secretismo. Smartphones e smartwacthes estão proibidos. Tudo para que as imagens não se espalhem pelas redes sociais e para que o público aproveite para ver o concerto. Para garantir que tudo permanece dentro de quatro paredes há um estojo que guarda os periféricos móveis até ao final do concerto. Já foi usado em museus e até em salas de aula.

Chama-se Yondr e há muito que é usada em espetáculos na Brodway, nos concertos de Jack White e nos shows de comédia de Chris Rock. Madonna trouxe o inovador serviço para a apresentação do álbum Madame X. São seis os concertos agendados para Lisboa até ao dia 23 de janeiro.

"Por favor note, este evento será uma experiência sem telefones. O uso de telemóveis, smartwatches e acessórios, câmaras ou outros aparelhos de gravação, não será permitido durante o espetáculo. Após a validação do seu bilhete, todos os telefones e smartwatches ficarão guardados em estojos Yondr que serão abertos após o espetáculo", pode mesmo ler-se num comunicado do Coliseu dos Recreios, que recebe os espetáculos da artista norte-americana.


Ainda assim, os espectadores ficam com a bolsa na sua posse durante o concerto. Se precisarem de fazer uma chamada, há uma área "de utilização de telemóveis designada para o efeito dentro da sala de comunicados", explica a mesma nota.

Das salas de espetáculo para as salas de aula

Quando começou a divulgar a sua ideia em 2014, principalmente na zona de São Francisco, onde estão situadas algumas das principais startups do Mundo, o fundador da Yondr, Graham Dugoni, encontrou resistência ao seu plano.

Mesmo assim, nunca desistiu da certeza de que tinha de que a sua tecnologia é essencial, principalmente numa era tão marcada pelas ferramentas digitais. "As pessoas precisam de ter alguma expetativa razoável de privacidade, mesmo na esfera pública", justificou à AFP.

Além dos concertos, e de alguns museus, a tecnologia está já a ser usada em escolas de forma a ajudar os alunos a concentrarem-se. Outro tipo de eventos em que a tecnologia se tornou popular são os casamentos em que os noivos proíbem o usos de telemóveis "para que os convidados estejam mesmo na festa".

O puxão de orelhas a quem furou proibição

Apesar dos avisos, há sempre que consiga fugir a toda a supervisão. Foi o que aconteceu precisamente num dos concertos de Madona nos EUA. E a artista não perdoou. Nas redes sociais deixou claro o desagrado: "Fico confusa com aqueles que insistem em levar outras câmaras e ignorar os meus pedidos para não gravarem o espetáculo. Essas pessoas não estão a permitir-se aproveitar o concerto na sua totalidade mas também mostram uma falta de respeito e de consideração pelos meus desejos."

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG