Faceionário

A minha identidade em troca de uns likes

A minha identidade em troca de uns likes

A FaceApp não é nova, existe desde 2017, mas voltou em grande forma na passada semana. Mostra a quem tirar uma selfie, e a submeter na aplicação, como será daqui a uns anos.

Segundo a revista "Forbes", a aplicação, que pertence a uma empresa sediada na Rússia, tem agora o acesso aos dados pessoais, como o nome e o próprio rosto, de mais de 150 milhões de utilizadores. Um verdadeiro poço de petróleo pronto a ser usado num mercado sem regras e com consequências imprevisíveis.

Foi assim que, com a app "This Is Your Digital Life", a Cambridge Analytica teve acesso aos dados de milhões de utilizadores do Facebook, que depois terão sido usados para segmentar publicidade que terá influenciado os eleitores nas presidenciais dos EUA e no referendo do Brexit. Desde então, Zuckerberg teve que enfrentar o senado norte-americano e as mais altas patentes da União Europeia. Nunca se falou tanto sobre privacidade, mas os erros repetem-se.

E a responsabilidade não pode ser apenas das empresas. É, também, dos utilizadores, principalmente dos mais conhecidos, os que agora se chamam "influencers", e que contribuíram para o sucesso que a aplicação voltou a ter nos últimos dias. A responsabilidade no novo paradigma digital é importante e nunca foi tão necessário como agora apostar na literacia digital.

Outros Artigos Recomendados