Faceionário

A resposta do Facebook ao fenómeno dos Youtubers

A resposta do Facebook ao fenómeno dos Youtubers

Depois do anúncio de conteúdos de vídeo próprios e da transmissão de eventos desportivos em direto, o Facebook lança mais um ataque ao domínio do YouTube nos vídeos.

Chama-se Facebook Creator e é a mais recente tentativa da empresa de Mark Zuckerberg em retirar o domínio da criação de vídeos ao YouTube. Trata-se da atualização do Facebook Mentions, a aplicação que era exclusivas para perfis e páginas verificadas e agora está disponível para todos na loja online da Apple.

Já em agosto, o Facebook tinha lançado, nos EUA, o Facebook Watch. Este serviço de streaming dá a possibilidade aos criadores de lançaram as suas próprias séries. A apresentação do Creators surge numa altura em que vários youtubers se têm queixado da maior atenção dada aos anunciantes do que à comunidade de criadores.

Nesta nova aplicação, os utilizadores do Creators passam a ter acesso a um conjunto de ferramentas verdadeiramente exclusivas:

- Vão poder criar introduções e conclusões dos vídeos de forma totalmente personalizadas. Tudo através do smartphone, sem recorrer ao computador.

- Permite interagir com a audiência, com os utilizadores a beneficiarem de uma única caixa de entrada para as mensagens do Facebook, Instagram e Messenger.

-Há uma plataforma de estatísticas. Aqui, os utilizadores passam a ter acesso a métricas e dados analíticos sobre os conteúdos que partilharam com os seguidores.

- Também foi criado um site com dicas para tirar melhor proveito das potencialidades da nova ferramenta.

O próximo desafio passa por compreender como é que os criadores poderão ser pagos pelo trabalho, tal como acontece com o YouTube. O Facebook ainda não paga a quem cria os vídeos. A rede está a testar intervalos publicitários no meio de vídeos, mas apenas com alguns parceiros.