Tecnologia

Amazon quer pôr a Alexa a imitar vozes de pessoas que já morreram

Amazon quer pôr a Alexa a imitar vozes de pessoas que já morreram

A Amazon prometeu uma série de novas funcionalidades para os seus produtos e, entre elas, está o facto de a assistente pessoal eletrónica Alexa passar a conseguir imitar vozes, mesmo daqueles que já falecerem, para "preservar" memórias.

Durante a mais recente edição da conferência re:Mars, a Amazon apresentou uma série de novidades para o futuro e, entre elas, está uma nova capacidade para Alexa, a conhecida assistente inteligente. De acordo com Rohit Prasad, vice-presidente da Amazon, a empresa está a desenvolver um sistema que vai fazer com que Alexa consiga imitar vozes após ouvir menos de um minuto de áudio de uma pessoa a falar.

O objetivo passar por preservar memórias dos entes queridos que estão longe ou já faleceram, principalmente depois de uma pandemia que tirou a vida a muitos e obrigou a um grande afastamento entre todos.

"Infelizmente muitos perderam pessoas que amavam. Já que ninguém consegue eliminar a dor de uma perda, ao menos assim pode fazer com que a memória de quem já partiu ou esteja longe seja preservada", afirmou Prasad.

Na conferência, foi mesmo exibido um vídeo no qual a tecnologia faz com que a Alexa leia uma história a uma criança com a voz da avó, que faleceu há pouco tempo. Para já, ainda não há data para a chegada da funcionalidade e a Amazon não avançou mais detalhes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG