Construção

Apoios para remodelar casas ajudam a cumprir metas ambientais na Europa

Apoios para remodelar casas ajudam a cumprir metas ambientais na Europa

Remodelar as unidades habitacionais para serem mais eficientes do ponto de vista energético e trazer benefícios equitativos para todos é essencial para tornar a Europa neutra em carbono. A tarefa é exigente e complexa e algumas pessoas têm ainda desconfianças a transpor.

O transtorno e os custos elevados envolvidos na maioria dos projetos de remodelação de eficiência energética levam muitas pessoas a adiar a decisão, apesar do trabalho reduzir as contas de energia a longo prazo.

Mesmo os proprietários com dinheiro e motivação para realizar as obras têm por vezes dificuldade em identificar as tecnologias mais apropriadas e encontrar empreiteiros adequados.

PUB

A cidade de Viena encontrou uma resposta. Neste momento em que países, cidades e regiões de toda a Europa planeiam um futuro de alterações climáticas, a capital da Áustria criou um balcão único para retirar parte do stress das obras de recondicionamento e renovação das unidades habitacionais.

Organizadores de casamentos

"Somos como os oraganizadores de casamentos", disse Stephan Hartmann, coordenador de um projeto chamado RenoBooster estabelecido com a cidade de Viena.

"Tal como nos casamentos, a maioria das pessoas organiza uma remodelação da casa uma vez na vida e considera-a um empreendimento grande, complexo e caro", afirmou.

O balcão único chama-se Hauskunft, um nome que combina as palavras alemãs para casa (Haus) e informação (Auskunft).

O Hauskunft tem sido muito procurado desde que abriu as portas em outubro de 2020, atraindo em média mil clientes por ano.

Com a invasão em grande escala da Ucrânia pela Rússia este ano, que perturbou o abastecimento de petróleo e gás natural da Europa, o número de novos clientes atingiu mais de 300 por mês, disse Hartmann.

O Hauskunft oferece aconselhamento gratuito com arquitetos e peritos em energia. O objetivo é ajudar os proprietários a avaliar sistemas de aquecimento, custos, poupança de energia, opções de isolamento e outras melhorias, tais como um novo elevador ou uma nova varanda.

Aconselhamento ao financiamento

Os proprietários recebem também ajuda com custos para estudos de viabilidade, visitas ao local, cálculos de desempenho energético e aconselhamento sobre fontes de financiamento.

O projeto RenoBooster ajudou também a criar uma associação de empresas privadas que podem realizar os recondicionamentos.

Há espaço para a procura crescer. A cidade de Viena tem cerca de 55 tipos de subsídios para proprietários e alguns estão por explorar.

"Temos mais dinheiro do que as pessoas pedem, talvez devido às normas que têm de cumprir, ou à complexidade dos subsídios2, disse Hartmann, que é também chefe de unidade no Departamento de Renovação Técnica Urbana da cidade.

Viena pretende ser neutra para o clima até 2040. Não será uma tarefa fácil, até porque inclui a eliminação gradual do gás - uma fonte importante de aquecimento e de água quente para os residentes.

Caldeiras a gás

"Temos cerca de 600 mil caldeiras a gás que precisam de ser mudadas para outros sistemas de aquecimento nos próximos 18 anos", disse Hartmann.

As empresas que instalam sistemas de aquecimento e água quente terão de mudar rapidamente para satisfazer a procura do mercado. A maioria destas empresas é especializada em sistemas de gás e terá de formar pessoal nas novas tecnologias.

"A mudança está a acontecer", disse Hartmann. "Se será suficientemente rápido para atingir os objetivos de 2040 não posso dizer, mas espero que seja".

Entretanto, em Itália, mais de mil quilómetros a sul, o último grande terramoto que atingiu Catânia, na costa oriental da Sicília, matou a maioria da população local e obrigou à reconstrução total da cidade.

Isso foi em 1693, mas o planeamento de terramotos é tão importante hoje como sempre foi. A pensar nas alterações climáticas, a renovação de estruturas para as tornar resistentes aos danos causados pelos terramotos procura desempenhar um duplo papel sem retirar as pessoas das suas casas.

As casas devem ser equipadas para a eficiência energética, bem como eventos sísmicos como terramotos. Esta profunda renovação deve ser financeiramente viável e proporcionar benefícios sociais.

Falha sísmica, o exemplo italiano da Catânia

A Catânia encontra-se sobre uma importante falha sísmica, e estima-se que posas haver um grande tremor de terra a cada século. Por outras palavras, dado que o último grande terramoto foi há mais de 300 anos, o próximo já devia ter ocorrido há muito tempo.

Os edifícios da cidade também são danificados por tremores menores, mais frequentes, causados pelo Monte Etna, o vulcão mais ativo da Europa em cuja sombra se encontra Catânia.

"Os engenheiros de estruturas estão muito preocupados porque sabem que o próximo grande terramoto pode acontecer a qualquer momento", afirma Laura Saija, professora associada de planeamento urbano e regional na Universidade de Catânia.

"As remodelações são uma oportunidade importante para melhorar as condições de vida em geral nos bairros desfavorecidos", afirmou. A professora Saija trabalha com um projeto chamado e-SAFE que desenvolveu uma tecnologia inovadora que pode ser utilizada tanto para proteger os edifícios de tremores de terra como para reduzir o consumo de energia.

A tecnologia e-SAFE baseia-se em painéis de isolamento utilizados em recondicionamentos energéticos fortalecidos com madeira. Os painéis são ligados ao exterior das casas utilizando dissipadores de energia sísmica, que absorvem a maior parte do choque de um terramoto.

Remodelações anti-sísmicas

Os investigadores da e-SAFE esperam que a tecnologia seja também utilizada noutros países europeus propensos a terramotos, incluindo a Grécia e a Roménia.

A investigação eSafe está a conceber uma forma de trazer para o mercado um recondicionamento antissísmico eficiente para o tornar mais amplamente disponível.

O sistema foi concebido para pessoas com baixos rendimentos. Além de serem mais baratos e rápidos de instalar do que muitos reforços antissísmicos, os painéis e-SAFE podem ser colocados sem que as pessoas tenham de sair de casa, o que é muito importante.

Muitas renovações exigem que as pessoas saiam das suas casas durante várias semanas enquanto o trabalho é realizado. É um obstáculo importante para os residentes, particularmente os de rendimentos mais baixos que podem não ter outro lugar para ficar.

A e-SAFE está a testar a tecnologia num edifício de habitação social numa área desfavorecida em Catânia.

No entanto, antes do início dos trabalhos, porém, a equipa encontrou uma barreira inesperada.

Barreira de confiança

Os residentes não tinham confiança na agência de habitação social responsável pela manutenção do edifício, parceira no projeto.

"A reunião inicial do projeto com os residentes foi a primeira vez que muitas pessoas viram um representante da agência em 20 anos", conta Saija.

"O edifício está em mau estado e o bairro também carece de serviços fundamentais como a recolha fiável de lixo", acrescenta. "É o material básico que torna a conversa sobre a preparação sísmica tão difícil", disse a professora Saija. "O cheiro do lixo da rua mata a capacidade das pessoas de pensar num potencial terramoto".

Renovar a Europa

O recondicionamento da habitação para tornar a Europa neutra em carbono é parte essencial do Pacto Ecológico Europeu. Irá criar empregos e melhorar a qualidade de vida de milhões de pessoas comuns.

A investigação neste artigo foi financiada pela UE. Este artigo foi originalmente publicado na Horizon, a Revista de Investigação e Inovação da UE.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG