iPhone e iPad

Apple acusada de vigiar localização dos utilizadores sem consentimento

Apple acusada de vigiar localização dos utilizadores sem consentimento

Apple e todos os programadores de todas as aplicações para iPhone podem saber comportamentos dos consumidores, acusa Centro Europeu para os Direitos Digitais.

A denúncia é do Centro Europeu para os Direitos Digitais (noyb, na sigla original), que entregou uma queixa junto dos reguladores da privacidade de Espanha e Alemanha, escreve esta segunda-feira o jornal "Financial Times".

Através do código único de rastreamento IFDA, a Apple e os programadores de todas as aplicações para o iPhone poderão saber quais são os comportamentos dos seus utilizadores.

"Tal como uma matrícula nos carros, este conjunto único de números e de carateres permite à Apple e a terceiros identificarem os utilizadores em todas as aplicações e até mesmo ligar-se a eles e medir o seu comportamento nos dispositivos móveis", refere o ativista do noyb Max Schrems

A Apple, na atualização de junho do seu sistema operativo, afirmou que as suas aplicações iriam pedir consentimento dos seus utilizadores antes de gerar o código IFDA e até indicar-lhes explicitamente qual seria a informação partilhada. Em setembro, contudo, a tecnológica adiou estas mudanças para o início de junho, adianta o "Dinheiro Vivo".

Outras Notícias