Web Summit

Bruxelas lança fundo para empresas de mais de mil milhões de euros

Bruxelas lança fundo para empresas de mais de mil milhões de euros

A Comissão Europeia vai lançar um fundo de investimento para apoiar o crescimento empresarial, no qual a verba pública será minoritária face à privada.

"É um novo fundo para empresas que é um fundo para investir no crescimento das empresas na Europa. Hoje as empresas nascem na Europa, eu diria que é fácil criar empresas na Europa, mas depois começam a crescer e têm que ser vendidas, muitas vezes, a fundos norte-americanos ou outros porque nós não temos fundos de dimensão para investir nesse crescimento", disse aos jornalistas na Web Summit o comissário europeu para a Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas.

A partir desta terça-feira e até janeiro, a Comissão Europeia vai procurar a entidade que vai gerir o fundo e ter capacidade para captar dinheiro privado.

"Temos que investir para que [as empresas] fiquem na Europa. A ideia aqui é ter um fundo de mais de mil milhões de euros, que possa ter a capacidade de investir em montantes mais elevados", afirmou Carlos Moedas, que constatou que os fundos de investimento europeus têm, em média, metade do volume financeiro dos norte-americanos.

De acordo com o enquadramento distribuído pela Comissão Europeia aos jornalistas, aquela entidade vai investir até 400 milhões de euros, num máximo de 25% do total, enquanto o restante será avançado pelos parceiros privados.

"Isto significa investimentos adicionais de capital de risco até 1,6 mil milhões de euros, o que é um empurrão significativo, uma vez que o total de fundos de capital de risco captados no ano passado na União Europeia foi cinco mil milhões de euros. O investimento da União Europeia combina recursos do InnovFin do programa Horizonte 2020, do Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos e do programa COSME", pode ler-se no documento de enquadramento.

Os objetivos deste novo fundo passam por "aumentar a dimensão dos fundos de capital de risco na Europa", "aumentar o investimento privado em capital de risco" e "ultrapassar a fragmentação".

A Web Summit de Lisboa, que arrancou na segunda-feira, conta com mais de 53 mil participantes, de 166 países, incluindo 15 mil empresas, 7 mil presidentes executivos e 700 investidores.

Entre os oradores, estão os fundadores e presidentes executivos das maiores empresas de tecnologia, bem como importantes personalidades das áreas de desporto, moda e música.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG