Inovação

China já está a trabalhar no desenvolvimento de redes 6G

China já está a trabalhar no desenvolvimento de redes 6G

As autoridades chinesas informaram, esta sexta-feira, que já iniciaram pesquisas para o desenvolvimento de redes sem fio de sexta geração, apenas algumas semanas depois de as três principais operadoras de telecomunicações do país terem lançado serviços comerciais 5G.

Citados pela agência noticiosa oficial Xinhua, funcionários do ministério da Indústria e Tecnologia da Informação e do ministério da Ciência e Tecnologia confirmaram que o Governo chinês iniciou recentemente o desenvolvimento de redes 6G.

As duas grandes operadoras estatais do país, a China Unicom e a China Telecom, revelaram ainda à Xinhua que iniciaram a pesquisa sobre frequências eletromagnéticas extremamente altas, críticas para o desenvolvimento do 6G.

As futuras redes 6G terão velocidades máximas de "download" de 1 terabyte - o equivalente a 250 filmes - por segundo e permitirão o uso de mapas holográficos tridimensionais, além de realidade virtual e aumentada, segundo a Xinhua.

"Não importa se estás a conduzir, andar de bicicleta ou a caminhar, o 6G combinará com tecnologia holográfica, permitindo visualizar mapas holográficos tridimensionais da cidade", descreveu o CEO da China Telecom, Bi Qi, na Convenção Mundial 5G de 2019, realizada em Pequim, citado pela Xinhua.

A China é um dos países pioneiros na construção de redes 5G. O país construiu 113 mil euros estações-base para a Internet do futuro, até à data, e pretende aumentar aquele número para 130 mil, até ao final do ano.

Fabricantes chineses de telemóveis, incluindo Huawei, Vivo e Xiaomi, também estão a lançar aparelhos aptos para o 5G, numa tentativa de conquistar uma fatia do emergente mercado.