Inovação

Condutor morreu em acidente com carro em piloto automático

Condutor morreu em acidente com carro em piloto automático

Os EUA estão a investigar aquela que será a primeira morte a bordo de um veículo elétrico Tesla, com o sistema de piloto automático ativo.

Joshua Brown, um norte-americano de 40 anos, morreu num acidente a bordo de um Tesla Model S em piloto automático, quando numa via rápida um camião se atravessou à sua frente, mas o sistema não detetou o obstáculo.

As autoridades de segurança rodoviária norte-americana estão agora a investigar o acidente, para perceber até que ponto o sistema teve uma falha grave ou se funcionou como deveria na situação, ainda que não evitando o acidente. A investigação foi revelada pela marca num comunicado em que explica as circunstâncias gerais do caso.

"O que sabemos é que o veículo estava numa via rápida dividida com o piloto automático ligado, quando um camião atravessou a estrada na perpendicular em relação ao Model S. Nem o piloto automático nem o condutor se aperceberam da lateral branca do atrelado com o céu claro em fundo, pelo que os travões não foram aplicados. A altura elevada do atrelado combinada com o seu posicionamento na estrada e as condições extremamente raras do impacto fizeram com que o Model S passasse por baixo do atrelado, fazendo com que a parte de baixo do camião batesse no para-brisas".

Apesar de a marca salientar que o piloto automático ainda está numa versão experimental e que o condutor deve estar sempre preparado para "assumir o controlo do veículo", o motorista do camião afirma que Joshua Brown estaria a ver um vídeo quando se deu o acidente. Brown era um famoso fã da Tesla que, no início do ano, publicou um vídeo no YouTube onde mostrava aquele sistema a evitar um acidente sem a intervenção do condutor.

Este acidente pode vir a tornar-se num dos marcos da história dos carros sem condutor, numa altura em que várias marcas tentam implementar sistemas de condução assistida ou até veículos sem condutor (como é o caso da Alphabet, a casa-mãe da Google, a ou a General Motors), que estão a ser referidos como mais seguros do que os veículos controlados por humanos.

No comunicado da empresa, a Tesla lembra que esta é a primeira morte registada num incidente com o sistema automático (que através de múltiplos sensores controla a direção, motor e travões), o que coloca a marca num rácio de uma morte por 130 milhões de milhas percorridas, um resultado melhor do que a média nos EUA de uma morte por 94 milhões de milhas percorridas, para os carros com condutor.

A Tesla, empresa fundada pelo bilionário Elon Musk, é uma das marcas mais conhecidas da atualidade no que respeita às inovações do setor automóvel, quer com veículos elétricos de alta performance, quer no que respeita à investigação na área da mobilidade sem condutor.

Outros Artigos Recomendados