Faceionário

Deve a polícia ter acesso ao meu Facebook?

Deve a polícia ter acesso ao meu Facebook?

O governo de Donald Trump quer que o Facebook facilite o acesso às mensagens encriptadas dos seus utilizadores em caso de investigações policiais. Uma medida em favor da segurança ou um perigoso precedente que se abre?

A solicitação partiu de William Barr, procurador-geral dos EUA, e promete ressuscitar as tensões entre as principais empresas de tecnologia e o governo de Trump. A justificação é encontrar uma forma de ler as mensagens análogas às escutas das chamadas telefónicas.

As SMS são cada vez menos usadas e grande parte da conversação que se faz, com amigos ou familiares, é através de apps de redes sociais e não pelo tradicional telefone.

Ora, o WhatsApp, que pertence ao universo Facebook, já contempla a encriptação de mensagens, impedindo que qualquer outra pessoa, que não o emissor ou o recetor, consigam ter acesso a uma conversação privada. Mas Zuckerberg, até por toda a polémica em que a rede se viu envolvida, está a alargar esta funcionalidade a outras plataformas, como o Instagram ou o Messenger, e não deve ceder facilmente a este pedido.

Se, por um lado, facilitaria o acesso das autoridades a informações que poderiam resolver crimes importantes, abriria uma janela preocupante em termos de privacidade. Seria, também, uma posição pouco coerente, depois da pressão feita pelas autoridades junto do Facebook no que toca a matérias de privacidade.