Redes Sociais

Facebook acusado de forçar funcionários a regressar ao trabalho presencial

Facebook acusado de forçar funcionários a regressar ao trabalho presencial

Numa carta aberta, mais de 200 funcionários de todo o mundo acusaram o Facebook de forçar os moderadores de conteúdo a regressarem ao escritório em tempos de covid-19. Alegam que a empresa está a "arriscar vidas desnecessariamente" para continuar a manter os lucros.

Vários funcionários acusam o Facebook de forçar os moderadores de conteúdo a regressar ao trabalho em regime presencial no período da pandemia, apesar dos riscos de contraírem o novo coronavírus. A rede social depende destes trabalhadores para identificar materiais que violam as regras sobre conteúdos, como o abuso infantil, o spam e a desinformação.

Os trabalhadores explicam na carta aberta que foram chamados para trabalhar em regime presencial quando o Facebook compreendeu que a inteligência artificial estava a falhar ao detetar este tipo de publicações. "Passado meses a permitir que os moderadores de conteúdo trabalhassem em casa, sob intensa pressão para manter o Facebook livre de ódio e desinformação, obrigaram-nos a voltar. Sem o nosso trabalho, o Facebook é inutilizável. Os algoritmos não conseguem detetar a sátira, não podem separar o jornalismo da desinformação, não podem responder suficientemente rápido à automutilação ou ao abuso infantil", lê-se.

A empresa assegura que a "maioria" dos moderadores de conteúdos estão a trabalhar a partir de suas casas e relembra que até ao verão de 2021 a equipa pode trabalhar em casa, conforme foi revelado em agosto. Um porta-voz da empresa afirmou que acredita "num diálogo interno aberto, mas estas discussões precisam de ser honestas. A maioria desses quinze mil revisores de conteúdo global têm trabalhado em casa e continuarão a fazê-lo durante a pandemia", avança a BBC News.

Apesar de a pandemia estar a ser benéfica para a rede social, "mais de três mil milhões de pessoas juntaram-se ao Facebook", os funcionários asseguram que a rede social preciso dos moderadores para continuar a prosperar. "O Facebook precisa de nós. É hora de reconhecer isso e valorizar o nosso trabalho. Sacrificar a nossa saúde e segurança pelo lucro é imoral".

Outras Notícias