Tecnologia

Facebook processa empresa e dois cidadãos chineses por fraude em publicidade

Facebook processa empresa e dois cidadãos chineses por fraude em publicidade

O Facebook moveu um processo contra uma empresa sediada em Hong Kong e contra dois cidadãos chineses por, alegadamente, terem levado centenas de utilizadores a instalarem malwares nas contas. Uma vez contaminados os perfis, eram exibidos anúncios a promover produtos diabéticos não certificados.

O processo, que entrou num tribunal da Califórnia, na quinta-feira, tem como alvo a empresa ILikeAd Media International Company Ltd. Chen Xiao e Huang Tao também são visados pela empresa de Mark Zuckerberg.

Segundo o Facebook, os dois chineses levaram a que várias pessoas instalassem softwares nocivos, comprometendo as contas no Facebook para passarem anúncios falsos, faturando milhões de euros.

De acordo com um comunicado do Facebook, em algumas das publicidades eram usadas imagens de celebridades, para que os utilizadores clicassem nesses links. "Esquemas de clique são normalmente sofisticados e muito organizados, sendo difícil identificar e responsabilizar os responsáveis", explica a rede social.

Ao portal Buzzfeed, Rob Leathern, diretor de gestão de produto do Facebook, admitiu que o esquema, que estava a ser investigado desde 2018, afetou pessoas em vários países. Já em agosto, o Facebook tinha processado duas empresas de tecnologia chinesas por desenvolver aplicações usadas clicarem em anúncios.

Outras Notícias