Internet

Google deixa de permitir anúncios com desinformação sobre alterações climáticas

Google deixa de permitir anúncios com desinformação sobre alterações climáticas

A Google anunciou, esta quinta-feira, que irá deixar de transmitir anúncios e conteúdos nas suas plataformas que contenham desinformação sobre as alterações climáticas.

Em comunicado, a empresa afirma que cada vez mais, os seus parceiros de publicidade não querem que "os seus anúncios sejam apresentados junto de afirmações incorretas sobre as alterações climáticas ou que as promovem".

A "nova Política de Rentabilização para anunciantes Google, produtores e criadores do YouTube" irá ser posta em prática em novembro, proíbe anúncios e conteúdos que contradigam "o consenso científico consolidado em relação à existência e às causas das alterações climáticas", informou a Google.

A tecnológica norte-americana salienta que vão continuar a ser permitidos "anúncios sobre outros temas relacionados com o clima, incluindo debates públicos sobre as políticas climáticas, os impactos das alterações climáticas e sobre as novas investigações" que são feitas sobre o ambiente.

Para tomar esta decisão, a empresa consultou fontes fiáveis e vários especialistas que contribuíram em estudos sobres as alterações climáticas da Nações Unidas.

A Google vai utilizar, em simultâneo, ferramentas automatizadas e a "revisão humana" para avaliar e separar os conteúdos que são desinformações sobre esta temática e aqueles que são baseados em factos.

Esta nova proibição foi publicada uma semana após o YouTube ter anunciado a proibição e a eliminação de todos os vídeos e anúncios que afirmem que as vacinas contra a covid-19 são perigosas para a sociedade e que podem causar problemas de saúde.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG