Google

Google (re)inventa o "Alfabeto"

Google (re)inventa o "Alfabeto"

A Google, tal como a conhecíamos, já não existe: a empresa (que há muito deixou de ser apenas um motor de busca) reafirma, agora, a sua pluralidade e cria uma nova estrutura empresarial, chamada de "Alphabet" ("Alfabeto") para abarcar todas as suas apostas.

Larry Page e Sergey Brin, os criadores da Google, decidiram criar uma nova entidade "guarda-chuva" para aglomerar todos os projetos que a empresa desenvolve, em diversas áreas.

A medida foi anunciada por Page esta madrugada e apanhou a Internet de surpresa.

"Estamos a criar uma nova empresa, chamada 'Alphabet'. Estou entusiasmado por ter sido nomeado para CEO desta empresa, que irei comandar com a ajuda do meu parceiro Sergey, como presidente", garantiu Larry Page, ao anunciar ao mundo a nova aventura do famoso duo da tecnologia.

O "Alphabet" vai substituir empresarialmente a "Google Inc", de capital aberto, e incorporar o braço de tecnologia de pesquisa X Lab, a unidade de investimento do Google Ventures e as operações de saúde e ciência desenvolvidas pela empresa. Para além disso, também a unidade de pesquisa da Google vai ser anexada a esta nova entidade que, com a saída de Page e Brin para o 'Alphabet', vai passar a ter em Sundar Pichai o seu CEO.

Todas as ações da Google Inc. vão automaticamente ser convertidas em ações da 'Alphabet', com a Google a passar a ser uma subsidiária.

Esta restruturação vem, no fundo, "arrumar a casa", tendo em conta que a empresa aposta em diversas áreas: automóveis automáticos, Google Glass, balões de Internet, cuidados de saúde, pagamentos móveis através da Google TV, automação residencial e a sua rede social Google+, entre outras.

Surge, igualmente, num momento em que os responsáveis receiam que o domínio Google tenha atingido o pico máximo e esteja a sofrer uma desvalorização pelos utilizadores, devido à falta de adequação do motor de pesquisa com a mudança das necessidades dos seus utilizadores.

A empresa Google foi durante anos líder do motor de busca na Internet, que, aliada à publicidade que havia nas suas páginas, se tornou num negócio bastante rentável.

Outras Notícias