Tecnologia

Hong Kong confiscou 29,8 milhões no caso Megaupload

Hong Kong confiscou 29,8 milhões no caso Megaupload

Cerca de 100 agentes de Hong recolheram provas do caso do portal MegaUpload e descobriram cerca de 330 milhões de dólares de Hong Kong (29,8 milhões de euros) relacionados com os alegados procedimentos criminosos, informaram as autoridades aduaneiras.

"Os activos foram congelados em conformidade com as provas obtidas. A operação está em curso", disseram as autoridades em comunicado.

Os agentes de Hong Kong realizaram buscas em escritórios, residências e suites de hotel no âmbito da investigação mundial do FBI sobre a pirataria informática no portal de partilha de conteúdos Megaupload.com.

Foram descobertos equipamentos alegadamente usados nas atividades ilícitas, incluindo servidores de alta velocidade e ecrãs de televisão de grandes dimensões, nas suites de hotel pagas a uma diária de 100 mil dólares de Hong Kong (cerca de 900 euros).

O fundador do Megaupload, Kim Dotcom, também conhecido por Kim Schmitz, está detido na Nova Zelândia.

Além do cidadão alemão de 37 anos, com residência na Nova Zelândia e Hong Kong, foram detidos outros três homens, com base nos mandados de captura emitidos pelos Estados Unidos.

A polícia da Nova Zelândia confiscou carros de luxo no valor de 4,8 milhões de dólares americanos (3,7 milhões de euros), incluindo um Cadillac de 1959 e um Rolls Royce Phantom, numa busca a uma mansão em Auckland.

PUB

A justiça norte-americana ordenou na quinta-feira o encerramento do Megaupload.com, uma das mais importantes plataformas de partilha de arquivos na Internet, acusada de violação dos direitos de autor.

O Megaupload.com ficou inacessível desde quinta-feira à tarde nos Estados Unidos e 18 outras páginas filiadas foram encerradas pela justiça norte-americana, que apreendeu 50 milhões de dólares das contas da sociedade, com sede em Hong Kong, e processou sete dos seus responsáveis.

O departamento de Justiça norte-americano e o FBI processaram um total de sete pessoas, que consideraram "responsáveis pela massiva pirataria online de numerosos tipos de obras, através do Megaupload.com e de outros sites relacionados".

As autoridades americanas referem o caso como um dos maiores roubos de copyright de sempre.

As autoridades aduaneiras de Hong Kong disseram que têm conduzido uma investigação conjunta com o FBI desde o final de 2010.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG