Faceionário

As doenças que o Facebook deteta

As doenças que o Facebook deteta

Tudo o que deixamos nas redes sociais revela mais do que somos do que aquilo que pensamos. Um grupo de investigadores da Universidade da Pensilvânia conseguiu identificar uma série de doenças ao analisar as publicações de mil pessoas.

O estudo, liderado por Raina Merchant, atenta às palavras utilizadas nas publicações e que podem dar pistas para eventuais problemas de saúde. Assim, foram analisadas um total de 949,530 publicações que integravam mais de 20 milhões de palavras.

Depois desta análise, os investigadores conseguiram identificar 21 condições de saúde diferentes. Problemas respiratórios, gravidez, doenças de pele, diabetes ou adição ao álcool. Estes são apenas alguns dos exemplos daquilo que os cientistas conseguiram descobrir, olhando apenas para o que cada um de nós deixa na rede.

Pessoas que usam palavras como "beber" ou "bebida" estarão, de acordo com estudo, mais inclinadas para o consumo de álcool. Quem usa mais palavras relacionadas com religião está 15 vezes mais propensos a apresentar problemas diabéticos do que os restantes utilizadores. A utilização de linguagem violenta é um indicador par ao consumo de droga ou psicose.

A nossa pegada digital é cada vez mais parecida à nossa impressão digital.