Premium

Estudante imprime peças de cortiça em 3D

Estudante imprime peças de cortiça em 3D

Tatiana Antunes aproveitou a tese de mestrado em Engenharia dos Materiais, na Universidade de Aveiro, para desenvolver um material à base de cortiça, 100% biodegradável, que permite fazer impressões a três dimensões (3D) ecológicas.

Foi o somatório de duas ideias que desde cedo prenderam a atenção da jovem aveirense: as potencialidades das inovadoras impressoras 3D e a preocupação com o ambiente.

Até agora, o mercado apenas apresentava, a quem queria usar aqueles equipamentos eletrónicos, filamentos sintéticos com ingredientes à base de plásticos. Mas com o trabalho de Tatiana Antunes, está dado o pontapé de saída para uma nova solução, uma que permite que os objetos impressos tenham um toque rugoso e quente, um odor e cor característicos da casca de sobreiro.