Tecnologia

Google rompe com a Huawei. Próximos telemóveis sem Play Store

Google rompe com a Huawei. Próximos telemóveis sem Play Store

Depois de Trump ter colocado a Huawei na "lista negra", a Google suspendeu alguns negócios com a multinacional chinesa. Os próximos telemóveis da marca vão perder o acesso à Play Store.

Segundo a agência Reuters, que cita uma fonte próxima do caso, a Google suspendeu alguns vínculos comerciais com a Huawei. O gigante norte-americano deixará de participar em negócios com a tecnológica chinesa que envolvam a transferência de hardware e software, exceto produtos protegidos por licenças de código aberto.

A próxima versão dos smartphones Huawei fora da China perderá, assim, atualizações do Android e o acesso a aplicações e serviços populares como o Gmail, o YouTube e o browser Chrome, disponíveis na Play Store, adianta a agência de notícias norte-americana.

Por outro lado, os utilizadores dos dispositivos da Huawei existentes que têm acesso à Play Store ainda poderão fazer o download de atualizações de aplicações fornecidas pela Google.

A notícia surge poucos dias depois de Donald Trump ter declarado "emergência nacional" e proibido empresas norte-americanas de usarem equipamentos de telecomunicações de "adversários estrangeiros" que a Casa Branca considera estarem a explorar vulnerabilidades nos serviços e infraestruturas do país, para espionagem ou sabotagem.

O decreto presidencial, que agudiza a batalha sobre o controlo das redes de telecomunicações 5G, coloca o gigante chinês de telecomunicações Huawei na "lista negra" dos EUA.

A Huawei armazenou chips e outros componentes vitais suficientes para manter o negócio em funcionamento durante pelo menos três meses, enquanto os EUA restringem o acesso à tecnologia norte-americana, indicaram fontes familiarizadas com o tema.