Faceionário

O Facebook quer saber (ainda) mais sobre si

O Facebook quer saber (ainda) mais sobre si

O Facebook viu-se envolvido na maior polémica de sempre devido às estratégias que usou para saber tudo aquilo que os utilizadores fazem. Mark Zuckerberg desculpou-se e disse que ia mudar as políticas da empresa.

Mas, a verdade é que, segundo o "The New York Times", a empresa californiana registou um conjunto de patentes com tecnologia que permite explorar cada detalhe da vida dos utilizadores. Estas são algumas das mais assustadoras:

Adivinhar o estado civil dos utilizadores

Uma das patentes destina-se a calcular o estado civil dos utilizadores analisando o número de vezes que visita outro perfil

Classificar a personalidade

Outro dos objetivos passa por identificar a personalidade dos utilizadores, através das publicações e das mensagens. Assim, a rede consegue segmentar melhor a publicidade.

Identificar a câmara

Esta patente pretende criar uma assinatura para a câmara do smartphone, utilizando as característica únicas, como aranhões, de cada aparelho. Assim, é mais fácil para a rede descobrir o grau de afinidade que tem com outro utilizado com base frequência das fotos tiradas com o mesmo aparelho.

Espiar os seus hobbies

O grande mote é usar o microfone do telefone para ouvir e identificar os programas de televisão que o utilizador prefere, a música que mais ouve e quais os anúncios que ignora.