Faceionário

Não há silêncio nas redes

Não há silêncio nas redes

As eleições de domingo trouxeram três novas forças políticas ao Parlamento. Iniciativa Liberal, LIVRE e Chega fizeram grande parte da campanha através das redes sociais e é por lá que se vão mostrar nos próximos quatro anos.

Não sendo possível afirmar qual o contributo que as novas tecnologias tiveram para a eleição de cada um destes deputados, a verdade é que lhes deram uma visibilidade que dificilmente teriam sem elas.

Visibilidade que continuam a ter uma semana depois da votação que não deve parar tão cedo, especialmente para um dos eleitos.

André Ventura é "trending topic" desde domingo. Primeiro porque foi de bandeira para a frente da Assembleia da República cantar o hino e depois porque se queixou de não ter sido cumprimentando por Joacine, do LIVRE.

O risco de dar um relevo excessivo ao novo "inquilino" da Assembleia República é grande. Mas, se até há pouco tempo, a chave para a porta que mostrava o visível aos cidadãos estava na mão dos média tradicionais, as redes sociais vieram mudar tudo.

As redes não permitem silêncios e o que lá se passa, mesmo que não seja visto por todos, é revelado mais cedo ou mais tarde. E a melhor forma de todos nos prevenirmos é com informação cuidada e verificada. Não falar, não noticiar apenas vai contribuir para o efeito de bolha e para a desinformação.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG