Ciência

Pacotes de leite vão poder informar sobre a saúde e bem-estar das vacas

Pacotes de leite vão poder informar sobre a saúde e bem-estar das vacas

Códigos QR nas embalagens de leite poderão ser usados para fornecer aos consumidores informação detalhada sobre os cuidados e o bem-estar dos animais nas criações de gado.

Um simples código QR impresso num pacote de leite pode um dia oferecer uma janela para a saúde e bem-estar das vacas que o produziram, permitindo ao consumidor rastrear o seu leite até à exploração de origem e aceder a dados sobre o bem-estar das vacas nesse dia em particular.

Graças às ferramentas eletrónicas de monitorização conhecidas como Pecuária de Precisão (PP), este nível de detalhe poderá ver a estar disponível para os consumidores. A tecnologia já está no mercado mas o seu pleno potencial ainda não foi concretizado.

PUB

O projeto ClearFarm, financiado pela UE, está a avançar na utilização da tecnologia PP com o objetivo de criar uma forma mais sensível, contínua e completa de compreender o bem-estar animal. Está a reunir produtores, reguladores, decisores políticos e consumidores de seis países.

Concentrando-se no gado suíno e leiteiro, o gado dominante na Europa, a ClearFarm está a estabelecer parcerias com várias empresas tecnológicas para criar uma nova plataforma de software que irá explorar plenamente as possibilidades da PP para monitorizar o bem-estar animal ao longo da vida.

Cuidados com as vacas

"Até agora, os esquemas de certificação de bem-estar animal têm assentado em visitas às quintas, talvez uma ou duas vezes por ano, pelo que a informação de base é bastante limitada", considera Pol Llonch, Gestor Técnico de Projetos para o ClearFarm a trabalhar na Universitat Autònoma de Barcelona (UAB).

O "ClearFarm será a primeira plataforma a fornecer informação em tempo real e sem paragens sobre o bem-estar animal. Consumidores e produtores poderão ver informação sobre cada animal da quinta, todos os dias do ano".

Sensores junto ao corpo irão recolher informação continuamente, incluindo dados sobre atividade, padrões alimentares e de saúde, permitindo ao agricultor monitorizar os seus animais quando não pode estar com eles. Os agricultores podem detetar problemas de saúde e de bem-estar animal precocemente, e tomar as medidas apropriadas.

Para além de um fluxo constante de informação, o ClearFarm irá integrar os muitos "domínios" reconhecidos do bem-estar animal: saúde, nutrição, conforto, estado emocional e comportamento natural. Combinará tudo isto para oferecer o que Llonch descreve como "um quadro abrangente e sem precedentes do bem-estar dos animais".

Llonch é um dos oito investigadores que trabalham no projeto ClearFarm na UAB, regressando à instituição onde completou a sua primeira licenciatura em Ciência Veterinária. O bem-estar e comportamento dos animais de criação é para ele uma paixão de toda a vida.

Não é apenas com a monitorização dos aspetos tradicionais do bem-estar animal que Llonch está preocupado. À medida que o projeto ClearFarm se desenvolve, interessa-lhe usar os últimos conhecimentos para melhorar todos os aspetos do bem-estar dos animais na quinta.

Brincadeiras dos porcos

O consórcio ClearFarm está já a analisar o comportamento em torno da alimentação dos porcos e a possibilidade de "brincadeiras". Uma ampla investigação sublinha que as brincadeiras dos leitões - correr e saltar e interagir com os seus companheiros de recinto - é importante para o seu desenvolvimento, e a equipa acredita firmemente que tem um lugar na monitorização do bem-estar.

"Quando instalámos sensores com microfones em currais de porcos para monitorizar a tosse e detetar problemas respiratórios, o agricultor estava cético", disse Llonch, mas "no final a experiência, quis ficar com eles".

E não são apenas os porcos e as vacas leiteiras que irão beneficiar da tecnologia PP, mas também os animais mais pequenos da quinta. Ovelhas e cabras representam 30% de todo o gado criado na Europa, mas o setor é muitas vezes visto como o parente pobre quando se trata de investimento e tecnologia.

O projeto TechCare, liderado por Claire Morgan-Davies, no SRUC (Scotland's Rural College), está a trabalhar com parceiros industriais, universidades, institutos de investigação e agricultores de nove países para explorar os benefícios da PP para o setor, e assegurar que não é deixado para trás.

"Os produtores estão muito satisfeitos com a atribuição de financiamento de investigação e inovação ao seu setor, e por estas tecnologias poderem ser aplicadas em benefício dos seus animais", disse Morgan-Davies, que tem uma vasta experiência em investigação agrícola.

"Esperamos que mais adiante possamos assinalar aos consumidores, as explorações agrícolas que estão a participar neste nível de monitorização e que isso seja uma garantia sobre o bem-estar e qualidade de vida dos animais".

Geografia caprina

Morgan-Davies pensa que muitos dos desafios para o bem-estar dos ovinos e caprinos na Escócia e na Europa - incluindo doenças, fornecimento de alimentos, risco de predação e transporte de longa distância até ao abate - decorrem das restrições impostas pelas condições climáticas e geográficas rigorosas em que são frequentemente criadas. A PP poderia ajudar a melhorar a gestão do bem-estar e a mitigar o impacto destes riscos de bem-estar para o benefício dos criadores de ovinos e caprinos em todo o mundo.

A TechCare está atualmente a recolher informação sobre as tecnologias existentes de PP potencialmente aplicáveis à criação de ovinos e caprinos, cuja escala tem sido uma surpresa para Morgan-Davies. Embora possam não ter sido formalmente testados neste setor, o potencial existe, e ela acredita que a indústria está a abrandar, começando a perceber que vale a pena investir nele.

"O projeto está a inspirar os criadores de ovinos e caprinos a acreditar que a nova tecnologia pode ser aplicada com sucesso no seu setor para o bem dos seus animais", disse Morgan-Davies.

A TechCare irá desenvolver sistemas simples de alerta adequados à natureza variada e muitas vezes tradicional da criação de ovinos e caprinos na Europa. A tecnologia usável pode ser acrescentada às marcas auriculares de identificação já em uso, para alertar os criadores, através de uma aplicação, sobre uma alteração no comportamento dos seus animais, perda de peso, ou falha em ganhar peso, indicações de um potencial problema de bem-estar.

Monitorização do bem-estar

Morgan-Davies acredita que, quando os agricultores virem os benefícios da monitorização com umas simples marcas auriculares, poderão sentir-se motivados a investir em sistemas mais complexos, tais como coleiras com GPS. "Acredito que o investimento em tecnologia levará a uma apreciação do seu papel mais amplo na monitorização não só do bem-estar dos animais individualmente, mas também da eficiência a nível da exploração agrícola, e do impacto no ambiente".

Esta é uma consideração importante também para a ClearFarm, que usa a tecnologia PP para avaliar o impacto ambiental, tal como a quantidade de alimentos e água consumida pelos animais, e para estimar a pegada de carbono e a rentabilidade económica juntamente com o bem-estar.

Llonch espera que a investigação futura resulte em novas ferramentas de avaliação animal para continuar a expandir a plataforma ClearFarm e o potencial da tecnologia PP para melhorar os cuidados com os animais.

A investigação neste artigo foi financiada pela UE. Este artigo foi originalmente publicado na Horizon, a Revista de Investigação e Inovação da UE.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG